Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Local

Polêmica

Bispo auxiliar assume Paróquia de Casa Forte

Escolha de dom Limacêdo ocorreu após manifestações contra a transferência de padre Deyvson

Publicado em: 10/01/2019 08:04 | Atualizado em: 10/01/2019 08:11

Dom Limacêdo é conhecido pelo trabalho junto a comunidades pobres e pastorais sociais.
Foto: Paulo Trigueiro/Esp. DP/D.A Pres.

Dom Limacêdo administrou paróquias da Mata Norte O bispo auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, dom Limacêdo Antônio da Silva, será o novo pároco de Casa Forte. O anúncio, feito ontem, é um capítulo a mais na polêmica em torno da transferência de padre Deyvson Soares para a Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, no Janga, em Paulista. Devido à transferência, representantes de cinco comunidades da paróquia se mobilizaram para tentar evitá-la. Foi a primeira manifestação do tipo no arcebispado de dom Fernando Saburido. Durante a gestão de dom José Cardoso, de 1985 a 2014, elas se tornaram frequentes. Padre Deyvson está à frente de Casa Forte desde a morte de Padre Edwaldo Gomes, em julho de 2017.

Ao saber da transferência, um grupo de paroquianos começou a recolher assinaturas para a permanência de padre Deyvson. A principal alegação dos fiéis era de que o sacerdote vem desenvolvendo um bom trabalho em Casa Forte. “O movimento é de gratidão e amor por tudo que o padre fez na paróquia depois de substituiu padre Edwaldo”, justificou Karina Regis, 35 anos, ao Diario. Pelas regras atuais da arquidiocese, um padre, desde que nomeado pároco, pode ficar em uma paróquia por até seis anos. Padre Deyvson era administrador paroquial, o que não lhe garantia a permanência. Além do abaixo-assinado, o grupo agendou audiência com dom Fernando Saburido, ocorrida anteontem.

Com a mudança anunciada, dom Limacêdo, conhecido pelo trabalho junto a comunidades pobres e pastorais sociais, terá o desafio de tocar as ações que notabilizaram a Paróquia de Casa Forte durante os mais de 40 anos de trabalho de Padre Edwaldo. Além de ser um dos principais auxiliares do então arcebispo de Olinda e Recife durante a ditadura militar (1964-1985), dom Helder Camara, padre Edwaldo desenvolveu uma série de projetos sociais junto às comunidades mais pobres da paróquia.

As mudanças têm datas certas. Padre Deyvson assume a paróquia do Janga no próximo dia 21, enquanto o seu auxiliar, o vigário paroquial padre Paulo Dutra vai comandar a recém-criada Paróquia de São João Batista, em Camaragibe. As transferências incluem o diácono provisionado em Casa Forte. Aerton Carvalho atuará na Paróquia de Nossa Senhora das Graças, no Recife.A posse de dom Limacêdo será imediata. Casa Forte pela importância pastoral e histórica da Igreja Católica local não pode ficar vacante. 

E no dia seguinte, 22 deste mês, ele passa a gerir a paróquia de Casa Forte, devotada ao Sagrado Coração de Jesus. E terá padre Fábio Paz de Queiroz, com 17 anos de ordenação e hoje responsável pela Paróquia de Nossa Senhora do Ó, no Janga, em Paulista. Antes da nomeação a bispo, dom Limacêdo esteve à frente de seis paróquias da Diocese de Nazaré da Mata: Limoeiro, Vertentes, Machados, Paudalho, Goiana e Aliança. Em carta à comunidade, os padres que deixarão Casa Forte, Deyvson Soares e Paulo Dutra, disseram estar alegres pela transferência. “Acolhemos os desígnios divinos expressados na colaboração ao nosso arcebispo, que com amor e dedicação apascenta essa porção do povo de Deus”, afirmaram no documento, divulgado no dia 4 deste mês. Ainda nele, os dois falam de gratidão a Deus pelos anos dedicados à paróquia e aos paroquianos.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Moradores cobram inauguração da Upinha Rio da Prata
A importância de um atendimento farmacêutico correto
Primeira Pessoa com Padre Reginaldo Veloso
Sobre Vidas: Casinha - Associação dos Amigos da Vila do Papelão
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco