Saúde

Número de casos de febre oropouche sobe para 13 em Pernambuco; saiba como se prevenir

Os quatro novos casos foram registrados no Grande Recife e na Zona da Mata

Publicado em: 09/07/2024 19:35 | Atualizado em: 10/07/2024 05:23

A febre é transmitida por mosquitos, principalmente pelo Culicoides paraense, conhecido popularmente como Maruim (Foto: Flávio Carvalho/WMP Brasil/Fiocruz)
A febre é transmitida por mosquitos, principalmente pelo Culicoides paraense, conhecido popularmente como Maruim (Foto: Flávio Carvalho/WMP Brasil/Fiocruz)
O número de casos de febre oropouche subiu para 13 em Pernambuco, segundo informações divulgadas nesta terça-feira (9) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE). Os casos são analisados pelo Laboratório Central de Pernambuco (Lacen/PE), que registrou quatro novos casos no estado.

As pessoas infectadas pelo vírus oropouche são três mulheres e um homem, que moram nos municípios de Itamaracá, Moreno e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, e em Catende, na Mata Sul. 

Perfil dos casos confirmados:

1. Sexo feminino, 25 anos, Itamaracá;
2. Sexo feminino, 37 anos, Moreno;
3. Sexo masculino, 54 anos, Catende;
4. Sexo feminino, 43 anos, Jaboatão dos Guararapes.

Os sintomas da febre oropouche são semelhantes aos da dengue, como febre, cefaléia intensa, dor retro-orbitária e mialgias, comum às arboviroses. Até o momento, não existe registro de óbito causado pela doença em Pernambuco. A febre é transmitida por mosquitos, principalmente pelo Culicoides paraense, conhecido popularmente como Maruim.

“Desde a primeira confirmação, nós estamos intensificando a atuação da vigilância ambiental nos municípios que registraram suas notificações. A ideia é orientar tecnicamente ações locais, a partir de visitas, análise do ambiente em que as pessoas circularam, entre outras informações importantes”, destaca o diretor-geral de Vigilância Ambiental, Eduardo Bezerra.

Para evitar a contaminação pelo vírus, a população deve seguir as seguintes recomendações:

  • Evitar áreas onde há muitos mosquitos, se possível.
  • Usar roupas que cubram a maior parte do corpo e aplique repelente nas áreas expostas da pele.
  • Manter a casa limpa, removendo possíveis criadouros de mosquitos, como água parada e folhas acumuladas.
  • Se houver casos confirmados na sua região, siga as orientações das autoridades de saúde local para reduzir o risco de transmissão, como medidas específicas de controle de mosquitos.

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL