Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Opinião
Editorial Primeira infância

Publicado em: 12/03/2020 03:00 Atualizado em: 12/03/2020 10:03

Yasmin tem apenas 6 anos. Mora no Pilar, uma comunidade pobre do Recife. Na casa onde vive, não há banheiro. As necessidades fisiológicas são feitas em sacos, posteriormente jogados junto ao lixo. O imóvel também não tem cozinha. Quando há comida, a família se alimenta em uma mesa improvisada na rua. A situação de vulnerabilidade de Yasmin é impactante. Ao menos deveria ser. Pesquisas em todo o mundo apontam que os primeiros seis anos de vida, chamados de primeira infância, são cruciais para o desenvolvimento do ser humano. Tratar mal a primeira infância não é alternativa.

Uma forma de ajudar crianças como Yasmin é participar da consulta pública do Plano Primeira Infância do Recife, cuja vigência vai de 2020 a 2030. Para isso, basta entrar no endereço https://consultas.colab.re/primeirainfanciarecife?r=2187 e responder às perguntas sobre o tema. O processo é rápido e fácil, mas bem importante.

Para estimular a participação de diversos setores da sociedade na consulta, a Prefeitura do Recife lançou o programa Embaixadores da Primeira Infância. Ao todo, 67 pessoas foram indicadas para dar o pontapé inicial no processo de chamamento da população para emitir suas opiniões para a construção do plano. São artistas, jornalistas, integrantes de ONGs, creches, professores e outros formadores de opinião. O papel deles é convencer as pessoas a participarem do processo coletivo. Afinal, quando a sociedade se envolve, é mais fácil cobrar adiante. Entre os embaixadores está Marcionila Teixeira, repórter do Diario de Pernambuco.

A participação na consulta pública pode acontecer a partir do chamamento dos embaixadores, que enviam para sua rede de conhecidos um link personalizado para preenchimento da consulta pública. O link citado no segundo parágrafo, por exemplo, é ligado a Marcionila Teixeira. Outra forma de participar é entrar de forma independente no endereço https://consultas.colab.re/primeirainfanciarecife e preencher as respostas.

A boa notícia é que a rede de embaixadores é infinita. Qualquer um pode ser embaixador. Desde que tenha e-mail e CPF. Com esses dados em mãos, basta baixar o aplicativo Colab, disponível gratuitamente para os sistemas Android e IOS, e clicar em “quero ser embaixador” na área da consulta pública do Plano Municipal para a Primeira Infância do Recife.

Quanto mais o embaixador engaja pessoas, mais ganha pontos. Ao final da consulta, serão ofertadas premiações simbólicas para os embaixadores de acordo com a pontuação obtida. A consulta acontece até 28 de março.

A pobreza é um dos maiores fatores de risco para o desenvolvimento da infância. Isso porque está ligada a níveis insuficientes de alimentação, falta de acesso a saneamento e higiene. Ao todo, 29% das crianças brasileiras de 0 a 6 anos vivem em domicílios pobres. Participar da construção de políticas públicas para esse grupo populacional é atitude cidadã.

Mais lidas

mais lidas

Barrados na quarentena   o drama de quem não pode ficar em casa durante a pandemia
Resumo da semana: amor na pandemia, confinamento rastreado e mortes por Covid-19 em Pernambuco
Coronavírus: Como fica a distribuição de merendas na rede municipal do Recife
#FicaemcasacomODiario: Igor de Carvalho
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco