Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Opinião
Computação e programação na grade curricular

Gleide Portela
Coach Business, especializada em Gestão de Negócios

Publicado em: 26/03/2020 03:00 Atualizado em: 25/03/2020 21:20

Hoje em dia 65% das crianças que estão ingressando nas escolas primárias trabalharão em novos tipos de trabalho e funções que nem existem ainda. A tecnologia está criando novas demandas multifuncionais para as quais os funcionários precisarão de habilidades técnicas, sociais e analíticas.

E programação está ligada diretamente ao futuro dessas profissões porque trabalha diversas habilidades como: criatividade, raciocínio lógico, resolução de problemas complexos, criatividade, pensamento sistêmico e computacional, foco e concentração, entre outras.

Desafios de programação e atividades desconectadas (aprendizagem de conceitos de computação sem um computador) são a rampa de acesso para um mundo onde os alunos podem se tornar poderosos o suficiente para expressar suas imaginações. E essa é a parte mais importante do estudo da ciência da computação: encorajar e apoiar criatividade e fomentar a solução de problemas. E o computador simplesmente é a melhor e mais acessível ferramenta de nossa era para esta finalidade.

Entendendo que ensinar as crianças como programar computadores irá dar-lhes uma habilidade para a vida toda, educadores do mundo inteiro começaram a enxergar uma necessidade de ensinar essa nova geração a produzir tecnologia em vez de somente consumi-la.

Vários países já têm a Programação como obrigatória na grade curricular. A Inglaterra foi o primeiro país do mundo a inserir a programação de computadores na grade curricular de todas as suas escolas e em todas as séries. De acordo com o planejamento curricular, as crianças começam a ter contato com a programação desde quando iniciam a vida escolar aos 5 anos de idade até o término do ensino médio, por volta dos 17 anos.

Os Estados Unidos também acreditam na importância de aprender como a tecnologia funciona. No Brasil, a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) estabelece que a partir deste ano (2020) todas as escolas do ensino infantil e médio têm que oferecer em sua grade curricular, computação e programação; cultura e mundo digital, pensamento computacional. Ou seja, todos terão que se adequar a essa obrigatoriedade.

Os novos sistemas de ensino das escolas públicas e privadas precisam atender a todas essas competências oferecendo o melhor currículo de ciência da computação para crianças nos níveis de ensino fundamental e médio, além de seguir parâmetros internacionais de letramento digital, tecnologia, Ciência da Computação e cumprir as diretrizes da BNCC. Para tal a escola precisa ter apenas um laboratório de informática e internet, contratar uma empresa com expertise no assunto, ou instrutores capacitados e plataforma e conteúdo adequados.

Mais lidas

mais lidas

De 1 a 5: discos da música brasileira para ouvir na quarentena
Barrados na quarentena   o drama de quem não pode ficar em casa durante a pandemia
Resumo da semana: amor na pandemia, confinamento rastreado e mortes por Covid-19 em Pernambuco
Coronavírus: Como fica a distribuição de merendas na rede municipal do Recife
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco