Diario de Pernambuco
Busca

Sustentabilidade

COP 28: Governo coloca no ar site do Plano Pernambucano de Mudança Econômico-Ecológica

A plataforma possibilita que os pernambucanos compreendam melhor as políticas públicas e permite que eles acompanhem de perto a implementação das ações do plano

Publicado em: 02/12/2023 14:35 | Atualizado em: 02/12/2023 14:41

Entre as práticas previstas pelo Plano estão as soluções de baixo carbono e de proteção a unidades de conservação, estratégias para incentivar o hidrogênio verde e energia solar e o fortalecimento da economia circular (Foto: Tarcísio Augusto/Semas)
Entre as práticas previstas pelo Plano estão as soluções de baixo carbono e de proteção a unidades de conservação, estratégias para incentivar o hidrogênio verde e energia solar e o fortalecimento da economia circular (Foto: Tarcísio Augusto/Semas)

O hotsite do PerMeie, que é o Plano de Mudança Econômico-Ecológica de Pernambuco, já está no ar e pode ser acessado por meio deste link. A plataforma do Governo do Estado disponibiliza para os pernambucanos informações sobre a política pública voltada para o desenvolvimento sustentável. O Plano foi divulgado pela governadora Raquel Lyra (PSDB) na 28ª edição da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 28), em Dubai.

A governadora destacou que o novo Plano irá modernizar o olhar tradicional da economia no estado e que o “PerMeie é um instrumento que irá garantir o reposicionamento do desenvolvimento de Pernambuco para a nova economia sustentável. Nosso estado ainda tem uma visão tradicional da economia, mas esse conceito se transformou e, atualmente, o olhar dos grandes mercados financeiros globais é voltado para o desenvolvimento social e ambiental”.

O hotsite permite que os pernambucanos se atualizem sobre as etapas das ações que estão sob o guarda-chuva do PerMeie. Um exemplo que pode ser citado é o “Noronha Sustentável”, onde a pessoa pode ver as fases do Plano de Gestão Sustentável Integrada (PGSI), do Arquipélago de Fernando de Noronha, que já foram concluídas, e quais serão realizadas daqui em diante.

"O PerMeie representa uma nova forma de enxergar e fazer a economia se desenvolver em Pernambuco. Como qualquer inovação, é necessário demonstrar e dar transparência às ações e impactos, para que os cidadãos possam acompanhar o desenvolvimento dos trabalhos", explica a secretária de Meio Ambiente, Sustentabilidade e de Fernando de Noronha de Pernambuco (Semas-PE), Ana Luiza Ferreira.

Os interessados saberão detalhes sobre o Plano, como seus objetivos e instrumentos. Além disso, os pernambucanos vão compreender os  sete pilares que servem de base para este redirecionamento da economia a favor do meio ambiente e da inclusão. 

Entre estes pilares estão: Indústrias sustentáveis; Transição energética ágil, responsável e justa; Ativos Ambientais e Mercado de Carbono; Agricultura familiar resiliente; Educação Técnica, Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação; Governo sustentável; e Noronha Sustentável. Cada pilar está sustentado em um pacote de ações que serão desenvolvidas por todo o governo estadual.

Entre as práticas previstas pelo Plano estão as soluções de baixo carbono e de proteção a unidades de conservação, estratégias para incentivar o hidrogênio verde e energia solar e o fortalecimento da economia circular.

De acordo com o Governo do Estado, as medidas serão implementadas ao longo dos próximos quatro anos, mas algumas já estão em curso por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Sustentabilidade e de Fernando de Noronha (Semas-PE) e pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC-PE).

O PerMeie é a realização de uma mudança que o estado passa desde o começo do ano, com o objetivo de mudar os rumos da economia para um desenvolvimento inclusivo, ao mesmo tempo que restaura e protege o meio ambiente.

“No nosso estado, assim como em todo o mundo, podemos perceber as consequências das mudanças climáticas, como o prolongamento das secas, as fortes chuvas que afetam, sobretudo, àqueles mais vulneráveis. Então o PerMeie lança esse olhar robusto para diversas ações que irão desenvolver nossa economia, mas priorizando questões sociais para combater desigualdades, e ambientais, preservando nossos biomas", ressalta Raquel Lyra.

Uma das medidas tomadas pelo Governo do Estado foi a criação da secretaria executiva de Sustentabilidade dentro da Semas-PE, que atua como guarda-chuva de gerências estratégicas, como a de Projetos Especiais e ASG, Instrumentos Econômicos Verdes e Mudanças Climáticas, todas criadas e/ou reestruturadas na atual gestão.

O PerMeie foi desenvolvido seguindo as diretrizes da Economia ASG (Ambiental, Social e de Governança), que orienta todo o mercado mundial de capitais, o que equivale a mais de US$ 40 trilhões, ou 25 vezes o PIB do Brasil.

A viagem da equipe do Governo do Estado acontece a convite da Bloomberg Foundation, que atua na participação de líderes de diferentes regiões do mundo no evento, custeando as passagens aéreas e hospedagens. Ainda acompanha a comitiva o secretário de Comunicação, Rodolfo Costa Pinto.
 
Pernambuco é o único estado do Nordeste a participar de discussão com estados subnacionais sobre ação climática global

A governadora Raquel Lyra participou neste sábado (2), de uma mesa redonda com representantes de governos estaduais de diversos países. Durante o encontro, foram debatidos temas que visam fortalecer o papel dos estados na liderança subnacional para fortalecer a ação climática global. 

Governadores, primeiros-ministros e principais líderes subnacionais da Califórnia, nos Estados Unidos; Andaluzia, na Espanha; e Querétaro, no México, estiveram presentes.

Pernambuco foi o único Estado do Nordeste a participar do encontro. Representantes de Minas Gerais e São Paulo também compareceram. 

“Essa é a primeira COP em que há um espaço de discussões voltado somente para entes subnacionais promovido pela presidência do evento, anteriormente só tinham entre países. Aqui nós representamos o Brasil e, principalmente o Nordeste, afirmando o nosso compromisso com a agenda do meio ambiente, mudanças climáticas e futuro sustentável. No fim das contas, as ações precisam acontecer nos próprios territórios”, destacou Raquel Lyra.
 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL