Diario de Pernambuco
Busca

Tremores

Maceió: Ministério diz que afundamento de solo está estabilizado

Segundo o Ministério de Minas e Energia, técnicos do Serviço Geológico do Brasil (SGB) indicam que, caso haja desmoronamento, ''ocorrerá de forma localizada e não generalizada''

Publicado em: 03/12/2023 16:55 | Atualizado em: 03/12/2023 16:57

Região de mina em Maceió registra abalo sísmico mais intenso. Tremor se deu no bairro Mutange (Foto: Divulgação/UFAL)
Região de mina em Maceió registra abalo sísmico mais intenso. Tremor se deu no bairro Mutange (Foto: Divulgação/UFAL)

O Ministério de Minas e Energia disse, neste domingo (3/12), que o afundamento no bairro de Mutange, em Maceió (AL), causado pela mina 18 da Braskem, está estabilizado.

O relatório da pasta aponta que a expectativa do Serviço Geológico do Brasil (SGB) é de que, caso haja desmoronamento, ele deve “ocorrer de forma localizada e não generalizada”. “Não se observa alteração expressiva do nível da lagoa [Mundaú]. Entende-se haver baixo risco de contaminação da lagoa”.

“Observa-se estabilização da situação, com redução do ritmo de subsidência do terreno e redução da probabilidade de deslocamentos de terra de larga escala”, afirma ainda o documento.

O Ministério pontuou que, nas últimas 24 horas, a velocidade do afundamento do solo caiu, indo de 50cm na quarta-feira (29) e outros 50cm na quinta-feira (30), para 15 centímetros no sábado (2). "Uma avaliação para a área demonstra que o sistema geológico está entrando em equilíbrio".

Ainda que a previsão seja positiva, a pasta ressalta que ainda é “uma velocidade elevada, ao se comparar com o parâmetro anterior da ordem de 20 centímetros por ano” e que é necessário “continuar o ostensivo monitoramento da área como um todo”.

A Defesa Civil informou que o deslocamento vertical acumulado na mina 18 é de 1,69m e a velocidade permanece de 0,7cm por hora, com um movimento de 10,8cm nas últimas 24 horas.
 
Leia a matéria no site do Correio Braziliense. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL