Diario de Pernambuco
Busca

Reação

Prefeito João Campos presta solidariedade após tentativa de assalto contra a namorada, a deputada Tabata Amaral

Em publicação nas redes sociais, chefe do Executivo no Recife lamentou fato que aconteceu no Centro de São Paulo

Publicado em: 10/12/2023 14:18 | Atualizado em: 10/12/2023 17:03

Tabata sofreu tentativa de assalto e João prestou solidariedade (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Tabata sofreu tentativa de assalto e João prestou solidariedade (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Usando as redes sociais, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), prestou solidariedade para a namorada dele, a deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP). 
 
No sábado (9), a parlamentar teve ferimentos leves depois sofrer uma tentativa de assalto, no Centro de São Paulo. 
 
Pouco depois da postagem de Tabata, no Instagram, João Campos fez uma publicação na mesma rede social. 
 
Ele afirmou que “ficou com coração pequeno e apertado” pelo que aconteceu com Tabata. 
 
João também fez comentários sobre a criminalidade.
 
“A violência fere, traumatiza e tem nos deixado reféns da falta de um enfrentamento integrado e mais eficaz”.
 
Por fim, na postagem, Campos prestou solidariedade para a namorada. 
 
“Toda solidariedade, meu amor”, escreveu.

Como foi
 
Pelas redes sociais, Tabata Amaral  compartilhou um vídeo onde relata que um homem deu um murro e quebrou o vidro do carro onde ela estava. 
 
“Graças a Deus a gente tá bem. O soco não me pegou, mas os estilhaços (do vidro do carro) pegaram na minha mão e na minha boca”, conta a deputada, que aparece com os lábios cortados no vídeo.
 
Ela disse que jogou o celular no chão do carro na hora, o que teria impedido que o homem levasse o aparelho.
 
A deputada condenou os casos de violência na capital paulista. “Essa não é a minha São Paulo, esse não é o lugar em que eu trabalho para criar os meus filhos”, afirmou.
 
“Sei que muitas pessoas já passaram por situações parecidas ou muito piores. A gente sente uma raiva tremenda na hora, um medo, um sentimento de injustiça”, desabafou.
 
“A gente tem que se agarrar a essas coisas para lutar e mudar essa situação, não dá para achar que tem que ser desse jeito. Não é razoável que num sábado de manhã, no trabalho, isso aconteça com a gente”, disse. “To bem, mas muito chateada e com mais vontade de mudar essa situação horrível que vem tomando conta da nossa cidade”, disse. 
 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL