Diario de Pernambuco
Busca

REUNIÃO MINISTERIAL

Lula reúne ministros nesta segunda após queda de popularidade

Um dos fatores que ajudam a explicar a queda de popularidade da gestão petista é o aumento de preços para os consumidores, principalmente dos alimentos

Publicado em: 18/03/2024 10:33 | Atualizado em: 18/03/2024 10:40

Lula disse saber que está ''aquém do que o povo esperava'', mas argumentou que é a partir deste ano que as medidas tomadas no início do seu mandato vão dar resultados (crédito: Ed Alves/CB/DA.Press)
Lula disse saber que está ''aquém do que o povo esperava'', mas argumentou que é a partir deste ano que as medidas tomadas no início do seu mandato vão dar resultados (crédito: Ed Alves/CB/DA.Press)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convocou os ministros para a primeira reunião ministerial deste ano. O encontro foi marcado para 9h desta segunda-feira (18/3), no Palácio do Planalto, e ocorre após pesquisas recentes apontarem queda de popularidade do governo federal.

 

Na última sexta-feira (15/3), Lula disse saber que está "aquém do que o povo esperava", mas argumentou que é a partir deste ano que as medidas tomadas no início do seu mandato vão dar resultados.

 

"Esses dias saiu uma pesquisa e a imprensa ficou incomodada. A imprensa me perguntou porque caiu a popularidade. Eu falei que tudo bem, é porque eu estou aquém do que o povo esperava que eu estivesse. Eu não estou cumprindo o que prometi. E eu tenho consciência que eu não estou cumprindo", comentou o presidente.

 

Um dos fatores que ajudam a explicar a queda de popularidade da gestão petista é o aumento de preços para os consumidores, principalmente dos alimentos. Segundo a pesquisa AtlasIntel, realizada nos primeiros dias de março, entre os participantes, 53% vêem a economia atual como ruim, 28% como boa, e 19% avaliam como normal. Sobre a expectativa para os próximos seis meses, 50% esperam melhora e 42%, piora.

 

Além disso, de acordo com a Quest, 73% dos brasileiros sentiram aumento nos alimentos, 63% nas contas em geral e 51% nos combustíveis. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que houve um pico nos preços de alguns alimentos no início do ano devido às altas temperaturas e às chuvas em regiões produtoras.

 

Em janeiro, a inflação foi de 1,38% para os alimentos, mas desacelerou para 0,97% em fevereiro, segundo a prévia do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O preço da gasolina nas bombas, por sua vez, aumentou 12,5% em 2023, e subiu novamente em fevereiro após aumento das alíquotas do ICMS.

 

As informações são do Correio Braziliense. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL