Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Política

CORONAVÍRUS

Twitter apaga posts de Flávio Bolsonaro e Salles com vídeo de Dráuzio Varella fora de contexto

Publicado em: 23/03/2020 16:22 | Atualizado em: 23/03/2020 16:39

 (Fotos: Aquivo e Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Fotos: Aquivo e Marcelo Camargo/Agência Brasil
O Twitter apagou publicações feitas pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e pelo senador Flávio Bolsonaro, em que foi divulgado um vídeo do médico Dráuzio Varella fora de contexto. 

A gravação, feita em janeiro, quando ainda não havia casos de coronavírus no Brasil, mostra o médico aconselhando seus seguidores a levarem a vida normalmente, não havendo "motivo para pânico". 

Flávio Bolsonaro e Salles compartilharam o vídeo descontextualizado, na útlima semana, levando seus seguidores a acreditarem que Varella estava se referindo à situação atual atual da crise no país, com mais de 1.500 casos confirmados e 25 mortos.

"Na posição de ministro, esperamos que o senhor, no mínimo, tenha a responsabilidade de se atentar à data em que esse vídeo foi publicado (30.jan), uma vez que a situação em torno do coronavírus muda rapidamente",  escreveu o ministro em sua conta no Twitter.

Já o senador escreveu: "Se não quer acreditar em Jair Bolsonaro, acredite no Dr. Dráuzio Varella. Apesar de falar a mesma coisa que o presidente, você não verá o queridinho da Globo ser massacrado pela mídia. Sem pânico, vamos vencer juntos essa guerra.

Em resposta a equipe do médico respondeu: "Estão fazendo uso político e divulgando um vídeo antigo produzido por nós sobre coronavírus, publicado em 30 de janeiro. Não sabemos por qual motivo ou qual a intenção, mas isso é desserviço".

Em quadro no Fantástico, exibido neste domingo (22), o médico também se prouniciou sobre o assunto, afirmando que gente "mal-intencionada" estava compartilhando o vídeo gravado em janeiro.

"Vale o que eu digo agora e o que direi nas próximas semanas: fique em casa o máximo possível“, rebateu.

O Twitter considerou que as postagens violavam as regras de uso da empresa ao potencialmente colocar as pessoas em maior risco de transmitir o vírus. Em nota divulgada pela Folha de S. Paulo, a rede social anunciou que "recentemente em todo o mundo a expansão de suas regras para abranger conteúdos que forem eventualmente contra informações de saúde pública orientadas por fontes oficiais e possam colocar as pessoas em maior risco de transmitir Covid-19".

Entre as novas regras do Twitter estão a proibição de posts que neguem recomendações de saúde de autoridades locais ou globais ou que façam afirmações específicas em torno das informações do Covid-19 que têm como objetivo manipular as pessoas.


 
Com informações da Folha de S. Paulo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Toalhas de Lula e Bolsonaro movimentam o comércio e dão o tom das eleições
Desemprego cai a 9,8% entre março e maio no Brasil
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado federal Daniel Coelho e com a Dra. Magda Maruza
Registro de armas dispara no Brasil durante governo Bolsonaro
Grupo Diario de Pernambuco