Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Opinião
Clubes sociais do Recife que fecharam ou mudaram de local (final)

João Alberto Martins Sobral
Jornalista

Publicado em: 22/01/2021 03:00 Atualizado em: 22/01/2021 05:49

Círculo Militar: Clube que reúne os oficiais do Exército, o Círculo Militar do Recife foi fundado em 1952 num belo casarão na Avenida Rui Barbosa, que teria pertencido a Antônio Pereira, ex-prefeito do Recife. Lá aconteciam festas quase todas as semanas e grandes eventos como o Baile do Soldado. O clube chegou a ter uma Miss Pernambuco, Raiolanda Castelo Branco, em 1966, eleita durante festa no Sport, que teve no júri os governadores Cid Sampaio e José Ramos. Entre os seus presidentes de destaque, o coronel Ivan Rui, que depois foi presidente do Sport. Seu diretor social era uma figura conhecida, o major Alcione Melo. Nos anos 70, sua sede foi transferida para um amplo terreno na Avenida Agamenon Magalhães, onde funciona até hoje. Nunca, entretanto, voltou a ter o mesmo brilho social na sede inicial, onde hoje está o Colégio São Luiz.

Banorte: Ligado àquele banco, o Banorte Atlético Clube tinha uma ótima sede na Estrada do Arraial, em Casa Amarela. Estive na sua inauguração, feita pelo presidente do banco, Jorge Baptista da Silva. Possuia amplas instalações com academia de ginástica, saunas, biblioteca com um bom acervo de livros, auditório, parquinho e um Hotel de Trânsito para funcionários do banco que vinham de outras cidades participar de cursos na sede. Foi local de muitas animadas festas. Encerrou as atividades com o fechamento do banco.

Olinda: Funcionou durante muitos anos numa ampla área na Avenida José Augusto Moreira, em Casa Caiada. O Olinda Praia Clube tinha uma boa vida social, incluindo grandes festas de carnaval. E seu parque aquático estava sempre cheio nos fins de semana.

Atlético: Na Estrada dos Remédios, o Atlético Clube de Amadores fez sucesso durante muitos anos, com animadas festas todas as sexta-feiras. Mas seu grande destaque era o Baile dos Casados, nas tardes das segundas-feiras de carnaval, quando reunia muitos e muitos nomes conhecidos. Lembro, por exemplo, de ter encontrado nela pelo menos três governadores: Nilo Coelho, com sua inseparável toalhinha no pescoço e lança-perfume (quando era permitido), Jarbas Vasconcelos e Carlos Wilson Campos. Na propaganda dizia: É proibido levar esposa, noiva, namorada e amante”.  Na sua sede tinha um espaço para eventos, como recepções de casamento, que se chamava “Salão Azul”, referência ao sofisticado espaço com o mesmo nome no Grande Hotel, na época em que era o espaço mais disputado da cidade.

Clube da Aeronáutica: Na verdade era conhecido como Cassino dos Oficiais da FAB, na Avenida Boa Viagem, mas sempre chamado de Clube da Aeronáutica. Especialmente no período em que o brigadeiro Márcio César Leal Coqueiro foi comandante do II Comar, fez muitas festas famosas. Uma delas, o “Mamãe Quero Voar”, uma das mais disputadas no carnaval. Hoje, está aberto, mas apenas para festas privadas, comandado por moradores da vila militar anexa.

Bandepe: A Associação Atlética Bandepe tinha sua sede na Estrada de Belém, em Campo Grande, tendo como sócios os funcionários do banco estadual. Durante bom período teve uma intensa atividade social, realizando festas com shows de cantores famosos. Fechou com a venda do banco.

Santa Cruz: O Tricolor teve, durante muitos anos, uma sede social, num casarão em frente à sede atual, onde se realizavam muitas festas. O local acabou sendo vendido para a construção de um supermercado Bompreço, quando da construção da nova sede. Onde também, durante algum tempo, teve intensa atividade social especialmente quando Edelson Barbosa foi presidente do clube. Sua prévia carnavalesca “Carnaval em Vermelho, Preto e Branco” aconteceu por muitos anos, prestigiada por tricolores de destaque.

Atlântico: Ficava no Carmo e era chamado Clube Atlântico Olindense, com um bom número de sócios e sempre realizando muitas festas, inclusive no carnaval. Foi lá que aconteceram os primeiros bailes do Siri na Lata. Foi reformado, mas nunca mais teve atividade social.

Automóvel Clube: Tinha uma bonita sede na Rua Padre Inglês, que era mais usada pelos sócios para encontros descontraídos, happy hours e jogos de sinuca. Era muito procurado numa época em que fornecia a carteira de motorista para uso no exterior. Era ligado ao Automóvel Clube do Brasil.

Covid longa preocupa OMS e desperta desafios
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 25/02
Bolsonaro diz não ter briga com a Petrobras
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 24/02
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco