A reforma mais importante

Publicado em: 16/07/2018 03:00 Atualizado em: 17/07/2018 09:28

O Brasil precisa de muitas reformas para corrigir as suas distorções. Entretanto, há uma que acho fundamental e a mais importante:  a eleitoral. A demagogia dos  constituintes criou um Código Eleitoral caricato em que o analfabeto e o menino de 16 anos podem votar.

O eleitor, que elege os criadores das nossas leis, tem que ser alguém que faça uma boa escolha. Penso que o sistema eleitoral que propicia a escolha dos melhores parlamentares é o alemão.

Fui indicado por André Franco Montoro como representante do Partido Democrata Cristão do Brasil para participar do Congresso Mundial do PDCs, em Bonn, onde tive oportunidade de estudar os vários sistemas eleitorais existentes em muitos países e conclui que o alemão é o melhor que existe nos países desenvolvidos.  O sistema é parlamentarista, unicameral e distrital.

Metade do número de Deputados é eleita     pelo Sistema Distrital, ou seja, o candidato mais votado no Distrito (um Distrito composto, por exemplo, pelos eleitores de Boa Viagem, Pina e Imbiribeira).  Um grupo pode lançar um candidato e percorrer todas as residências desse Distrito.  A outra metade dos candidatos é escolhida pelos Partidos numa ordem determinada pelas convenções partidárias. Assim, os partidos escolhem pessoas de grande expressão moral ou intelectual e que não estão dispostos a fazer uma campanha eleitoral. O eleitor pode votar num candidato Distrital de um Partido e votar num candidato partidário de outro Partido.  

O Custo de uma eleição fica muito reduzido e não se dá as doações por Caixa 2, como vemos no Brasil. O  número de Deputados seria menor e nos seus   Gabinetes  não teria a quantidade de auxiliares que  existe no nosso país. Finalmente, o voto seria facultativo e só votaria quem tivesse motivação política para tanto.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.