Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Notícia de Local

Fórum de Camaragibe

Justiça ouve mais testemunhas sobre homicídio de médico em Aldeia

A expectativa é de que até o fim do dia seja concluído os trabalhos e anunciado se os réus irão à júri popular

Publicado em: 14/12/2018 10:42 | Atualizado em: 14/12/2018 20:01

Mãe e filho são acusados de matar médico Denirson Paes em Aldeia - Fotos: Camila Pifano/Esp DP

Prossegue na manhã desta sexta-feira (14) a audiência de instrução e julgamento do assassinato do médico Denirson Paes, que foi encontrado morto, em julho, dentro de uma cacimba no quintal de casa, em Aldeia, Camaragibe. Esta é a última sessão, que decirá se os reús irão a júri popular. A audiência acontece no Fórum de Camaragibe. Danilo Paes, filho mais velho do médico, que está preso e investigado por suposta participação no crime, já chegou. A mãe dele, Jussara, ex-esposa do médico, que confessou o assassinato, também já está no recito. Ela não foi vista pela imprensa, que acompanha do julgamento. 

O advogado criminalista Carlos André Dantas, contratado pela família de Denirson, disse que a tese da defesa dos réus em afirmar que o médico era uma pessoa violenta não vai prosperar. "Sempre fui informado que Denirson era uma pessoa pacífica, de bem. Todos gostavam dele pessoal e profissionalmente. Ele agradava as pessoas por onde passava. Mesmo com a medida protetiva que a senhora Jussara conseguiu em 2015 foi apenas uma forma de constrangê-lo, por ele ter viajado aos Estados Unidos sem ela. Não houve, na época, sequer exame de corpo de delito. É óbvio, claro, que ele não era agressivo!", defendeu.

Hoje serão ouvidas duas testemunhas de acusação, o responsável pela investigação e que fez a reconstituição do caso, além de um funcionário do condomínio, e nove pessoas arroladas pela defesa. Quinze testemunhas de acusação já foram ouvidas na sexta-feira da semana passada (7). A expectativa do advogado é que as testemunhas de acusação contribuam com informações sobretudo o que foi produzido na investigação que foi perfeita. "Que hoje a acusação possa renovar os pedidos de condenação e levá-los ao tribunal do júri. Esta deve ser a última audiência antes que defesa e acusação apresentem suas alegações finais para que a juíza possa proferir sua decisão de pronúncia que pode levar os acusados para julgamento no tribunal do júri", comentou o advogado. Nesta sexta (14), os familiares de Denirson não apareceram no fórum. 

O criminalista Carlos André Dantas falou que a defesa alega falhas na investigação e se pronunciou a respeito: "A investigação foi brilhante, pois a equipe trabalhou de forma efetiva, tanto que a senhora Jussara negava a autoria e depois, ainda na fase inquérito, confessou. Se eles acham que há falhas, por que não pedem anulação da ação judicial?", afirmou. 
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Maria, mãe de um povo ferido
Confira a estreia do programa In set
Educação humanizadora e não violência nas escolas
João e os 50 anos de colunismo social
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco