Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Economia

SOLUÇÕES

Empresa pernambucana doará 100 mil máscaras para proteção contra a Covid-19

Publicado em: 26/03/2020 18:25

Fabricação de máscaras tem por objetivo estimular produção têxtil local (Foto: Divulgação/Grupo Moura)
Fabricação de máscaras tem por objetivo estimular produção têxtil local (Foto: Divulgação/Grupo Moura)
O Grupo Moura divulgou nesta quinta-feira (26) que a empresa vai doar 100 mil máscaras para reforçar as medidas de proteção individual da população contra o novo coronavírus. A fabricação, que também será coordenada pela companhia, começará nesta semana e a distribuição será realizada logo em seguida.

A empresa afirma que, nos últimos cinco dias, voltou suas equipes de engenharia para atuar no desenvolvimento de um produto com duas camadas de tecido à base de algodão e um filtro de lã sintética. O modelo segue o usado pela população chinesa para proteção individual.

“Mobilizamos toda equipe e chegamos à conclusão que tínhamos as ferramentas necessárias para produção de um protótipo de máscara em nosso laboratório. A partir disso, conseguimos avançar junto aos órgãos responsáveis e chegar em um modelo de qualidade que deverá ajudar a população nesse combate”, afirma o Diretor de Engenharia do Grupo Moura, Antônio Júnior.

No primeiro momento de doação, as máscaras serão destinadas à população, aos colaboradores do Grupo Moura e suas respectivas famílias e aos profissionais das revendas da marca em todo Brasil. A máscara é um reforço nas medidas de proteção individual, especialmente para pessoas que integram os grupos de risco ou aquelas que não podem estar em isolamento total neste período.

A iniciativa também é uma contribuição para dinamizar a cadeia produtiva do Agreste pernambucano, para a manutenção dos pequenos e médios negócios. A opção por esse produto segue a orientação do Ministério da Saúde, que, nesta semana, fez um apelo à população brasileira para que não adquirissem as máscaras cirúrgicas descartáveis. O material está sob risco de escassez no país, pois essas devem ser totalmente destinadas aos profissionais de saúde e para utilização em ambientes hospitalares.

A recomendação oficial é de que outras soluções sejam desenvolvidas, com a utilização de materiais têxteis para reforçar as medidas de proteção individual. As máscaras de tecido não são indicadas para uso hospitalar e não serão destinadas aos profissionais de saúde, nem devem ser consideradas como única barreira preventiva.

Segundo a Moura, o material não dispensa as ações de limpeza frequente das mãos e cuidados para não tocar o rosto. O produto também precisa ser higienizado diariamente, utilizando produtos normais para lavagem de tecidos e água com temperatura superior a 60°C.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Resumo da semana: segunda onda da pandemia, drones na eleição e campanha sem aglomeração
Rhaldney Santos entrevista João Paulo (PCdoB)
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Rhaldney Santos entrevista Dr Carlos Romeiro, ortopedista
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco