Diario de Pernambuco
Busca

Zona Norte

Morro da Conceição é o sexto bairro transformado pelo Mais Vida nos Morros

Morro da Conceição é o sexto bairro transformado pelo Mais Vida nos Morros Mais do que cores, programa leva inovação e engajamento para localidades do Recife. Com a entrega, o projeto comemora dois anos de atividades beneficiando diretamente cerca de 10 mil pessoas

Publicado em: 03/05/2018 13:23 | Atualizado em: 03/05/2018 13:27

Na subida do Morro da Conceição, na Zona Norte do Recife, a cada passo é possível ver algum traço da mudança urbana promovida pelo projeto Mais Vida nos Morros. Nas paredes, no chão ou nos altos, o morador encontra alguma cor sinalizando o local correto do descarte de lixo ou mensagens de educação ambiental. Na manhã desta quinta-feira (3), o prefeito Geraldo Julio e secretários municipais percorreram as ladeiras até a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição para ver de perto as transformações na área. A entrega do programa no Morro da Conceição marcou a comemoração de dois anos do projeto que já beneficiou cerca de 10 mil pessoas em seis locais diferentes da cidade.

As mudanças foram pensadas e construídas coletivamente, com a Prefeitura e os moradores atuando lado a lado e com apoio da iniciativa privada. Um dos exemplos do trabalho conjunto foi a criação de um mirante em frente à igreja. Do local é possível ver toda a Zona Norte da cidade e o observador ainda pode tirar fotos no mural instalado na área. Na subida, foram colocados guarda-corpos - a pedido dos moradores - para proteger áreas de risco. Mais de 600 casas do bairro foram pintadas de azul e branco, as cores de Nossa Senhora de Conceição, uma escolha dos moradores.

Para o prefeito, a parte mais importante do processo é o engajamento da população. "Este é o pilar essencial, porque algumas obras são realizadas diretamente pela Prefeitura, como iluminação, recuperação de escadaria e corrimão, mas a maior parte são iniciativas feitas pelas pessoas da comunidades. Elas pintam as casas e escolhem a cor. Aqui no Morro da Conceição, todos escolheram azul e branco, em homenagem à santa", explicou o prefeito.

O artista Manoel Quitério comandou oficinas de grafitagem com crianças e jovens da localidade e, em seguida, houve um mutirão de pintura. Na praça, as intervenções foram voltadas para a primeira infância. O chão recebeu desenhos geométricos e coloridos para criar um espaço lúdico e estimular a criatividade dos pequenos. A transformação chegou também à Academia da Cidade.

O equipamento continua com seu uso normal, voltado para adultos e idosos, com instrutores pela manhã e à tarde. Nos demais horários, as crianças também poderão fazer uso da área. "Isso é um estímulo ao desenvolvimento das crianças e investir na primeira infância é investir no futuro", afirmou Gerado. De 2016 até hoje, o Mais Vida nos Morros já passou por seis localidades e 2.300 famílias foram beneficiadas no processo. O programa está agora no Sítio dos Pintos, na Zona Norte.

O secretário executivo de Inovação Urbana da Secretária de Infraestrutura e Habitação do Recife, Túlio Ponzi, explica que o programa se baseia numa política pública de cidadania e desenvolvimento sustentável em que o morador é o protagonista do processo. "É ele quem põe a mão na massa, escolhe e participa. É um espaço para ele reivindicar, mas é principalmente para ser parte da solução. A gente acredita que o morador é o grande especialista da comunidade", observou Túllio.

Mais de cem moradores do bairro receberam mini-horta com minhocário em suas casas. Isso vai permitir que ele faça a compostagem do lixo orgânico e ter sua própria horta . "Com isso, em larga escala, a gente pode ter uma redução de 40% da coleta do lixo", grifou o secretário. Ninguém melhor do que o próprio morador para falar das melhorias na área. É o caso da aposentada Severina Paiva, 80 anos. Há 68 anos, Dona Sevi, como é mais conhecida, mora no Morro da Conceição e defende que a transformação na área tem sido muito visível. "A Praça está lindíssima e a conscientização do lixo também é muito importante. Agora cabe aos moradores ter o cuidado para conservar", afirmou.

Pároco da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, padre Renato Oliveira ressaltou que as intervenções significam qualidade de vida para os moradores e destacou ainda o potencial turístico do Morro da Conceição. "O morador daqui sabe acolher e, quando ele tem um local que privilegia isso, vira uma festa para o morador. O bairro está sendo valorizado e todo mundo ganha com isso", afirmou.

O PROGRAMA - O Mais Vida nos Morros começou em 2016 como uma estratégia que busca despertar uma mudança de comportamento em relação às questões urbanas e ambientais. O projeto já beneficiou cerca de 2.300 famílias no Morro do Conceição, Alto do Maracanã, Córrego do Jenipapo, Mangabeira/Alto José do Pinho, Três Carneiros/Ibura e Alto Santa Isabel. No início de abril o projeto chegou ao bairro de Sítio dos Pintos.

O Mais Vida nos Morros também fomenta o desenvolvimento econômico local. Além da transformação urbana e ambiental, serão implantadas ações de empreendedorismo, economia criativa, inclusão produtiva e microcrédito orientado. O engajamento e a mobilização dos próprios moradores é um dos pontos fortes do projeto: até as crianças participam das ações e das escolhas.

Cada morador participa ativamente do projeto, fazendo sugestões, escolhendo as cores de suas casas e trabalhando com a mão de obra. A Prefeitura do Recife participa com a elaboração do projeto, orientação técnica e a acompanhamento das ações. Lugares onde existem pontos de confinamento de lixo são transformados em locais de lazer e convivência, hortas orgânicas e parklets. As escadarias são revitalizadas com retraços de cerâmica colorida, tornando o ambiente mais harmônico.

O morador é o grande protagonista da transformação em sua comunidade. A idéia é despertar cada vez mais o sentimento de comunidade, a autoestima e o orgulho dos moradores para com o seu território. O projeto é executado pela Secretaria de Infraestrutura e Habitação, através da Secretaria Executiva de Inovação Urbana e conta com a participação da comunidade e significativa da iniciativa privada, através das Tintas Iquine, Armazéns Coral, Concrepoxi Artefatos, Grupo Asa e empresa Soll.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL