A ameaça da repressão

Publicado em: 17/08/2018 03:00 Atualizado em: 17/08/2018 08:27

Desde 2015 que cresce a ameaça de intervenção militar em nosso país. A mídia nativa, os procuradores da Lava-Jato, o Judiciário e o Ministério Público, foram cúmplices e são parceiros da cruzada dos movimentos da direita, com a velha tática de combate à corrupção e criminalização da esquerda, mote das Marchas Com Deus Pela Família em 1964.

Nos atos e passeatas deste ano, também financiadas por empresários e especuladores, são visíveis a intenção das mensagens - violações ao Estado de Direito, ataques aos direitos humanos, às garantias e liberdades individuais assegurados pela Constituição de 1988. Assim, as emissoras de televisão, rádio, redes sociais, mantêm uma novela diária, repetitiva, com a defesa de medidas para restringir os programas, as conquistas sociais e reforçar o estado policial.

Daí o discurso com ênfase na segurança pública, ou seja, repressão aos pobres das favelas e morros que na ótica de classe seriam as causas do tráfico de drogas, assaltos e crimes. Ou de militares e fascistas de férias como o general Mourão que discursa - com apoio da mídia - sobre riscos de deixar impunes acusados de corrupção ou condenados sem provas por juízes ou procuradores da República de Curitiba.    

Na atual conjuntura, contudo, a realidade é diversa dos anos 1960, pois nem os Estados Unidos, nem a Europa, têm recursos ou motivação - a crise do modelo liberal atinge todos - para bancar um novo paraíso aqui ou na América Latina. Nem tampouco uma mídia interna e externa com força para esconder as Trevas no Paraíso - a censura, as prisões, desaparecimentos, perseguição aos artistas, intelectuais, lideranças políticas, sindicais, religiosos, trabalhadores, estudantes e vítimas dos preconceitos da elite  que financia os meios de comunicação tradicionais e as novas mídias. É um equívoco defender ou acreditar no êxito desse novo retrocesso, que tem seu mais recente exemplo na prisão do ex-presidente Lula, baseada na acusação do juiz Sérgio Moro e na caçada do Judiciário sob pretexto de que as delações, documentos, invencionices, incriminam Lula e seu partido.  Que país é este?

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.