Diario de Pernambuco
Busca

CONFLITO EM GAZA

Em abertura de conferência cultural, Lula posa com bandeira da Palestina

Ato acontece dias após presidente da República reiterar críticas ao Estado de Israel diante da Guerra na Faixa de Gaza

Publicado em: 04/03/2024 22:20


Na semana passada, o petista reiterou as críticas sobre Israel e acusou o país de promover uma "carnificina" na Faixa de Gaza  (foto: Reprodução/gov.br)
Na semana passada, o petista reiterou as críticas sobre Israel e acusou o país de promover uma "carnificina" na Faixa de Gaza (foto: Reprodução/gov.br)

Na abertura da 4ª edição da Conferência Nacional de Cultura, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) posou com a bandeira da Palestina. O ato ocorre dias após o chefe do Executivo criticar novamente o Estado de Israel diante da guerra.

 

A conferência contou com a participação de produtores culturais e da sociedade civil. Na abertura do evento, grupos de danças brasileiras. No discurso que abriu o evento, o poeta Antônio Marinho, secretário do Ministério da Cultura (MinC) pediu o "fim do genocídio" em Gaza e foi aplaudido de pé pelo presidente. Depois da fala, tirou uma foto com Lula e a ministra da Cultura, Margareth Menezes, segurando a bandeira palestina.

 

“Se é aquele que vive confirmando a bravura do sangue nordestino e pediu pelo povo palestino pela paz pelo fim do genocídio. Eu nem leio os ditames do dissídio. Eu só quero saber onde eu assino. Viva o povo palestino livre e soberano. Abaixo o genocídio. Viva a paz e o amor. Viva Luiz Inácio Lula da Silva”, disse Marinho.

 

Na semana passada, o petista reiterou as críticas sobre Israel e acusou o país de promover uma “carnificina” na Faixa de Gaza. A declaração foi dada em reunião da Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), em São Vicente e Granadinas, no Caribe. Ele afirmou que “a nossa humanidade” está em jogo.

 

 

 

Plano Nacional de Cultura

 

Começou nesta segunda-feira (04) a 4ª edição da Conferência Nacional de Cultura, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Com o tema Democracia e Direito à Cultura, o evento é promovido pelo MinC, e foram apresentadas as propostas aprovadas que vão embasar as diretrizes do novo Plano Nacional de Cultura (PNC) — que norteiam a pasta nos próximos dez anos.

 

O último PNC, de 2014 e com prazo até dezembro, foi elaborado após a realização de fóruns, seminários e consultas públicas com a sociedade civil e, de 2005 em diante, sob a supervisão do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC). O plano teve sua vigência prorrogada duas vezes.

 

Cerca de 3 mil participantes de todo o Brasil estiveram presentes no evento. As propostas aprovadas vão embasar as diretrizes do novo Plano Nacional de Cultura (PNC), que norteiam a pasta na próxima década.

 

Nesta edição, serão debatidos seis eixos temáticos importantes para democratização e inclusão. São eles:

 

Eixo 1: Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura

 

Eixo 2: Democratização do acesso à cultura e Participação Social

 

Eixo 3: Identidade, Patrimônio e Memória

 

Eixo 4: Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural

 

Eixo 5: Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade

 

Eixo 6: Direito às Artes e Linguagens Digitais

 

 

Atrações musicais

 

Até a sexta-feira (08), a 4ª CNC vai debater políticas públicas culturais e definir orientações prioritárias para assegurar transversalidades nas ações do setor. Entre as atrações musicais do evento estão Fafá de Belém, Paulinho da Viola, Diogo Nogueira e Daniela Mercury.

 

A 4ª CNC é realizada pelo MinC e pelo Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), e co -realizada pela Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI). Também conta com apoio da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil).

 

 

Confira as informações no Correio Braziliense.  

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL