Diario de Pernambuco
Busca

LITERATURA

Tradutora de Memórias Póstumas de Brás Cubas comenta sucesso nos EUA: ''Não para de ser atual''

Flora Thomson-DeVeaux, responsável pela tradução da obra para o inglês, destacou o aspecto contemporâneo da trama

Publicado em: 22/05/2024 12:46 | Atualizado em: 22/05/2024 13:06

Tradutora Flora Thomson-DeVeaux considera a viralização da obra como consequência da trama refletir a sociedade atual (Crédito: Divulgação)
Tradutora Flora Thomson-DeVeaux considera a viralização da obra como consequência da trama refletir a sociedade atual (Crédito: Divulgação)
Dominando as vendas na Amazon, a versão em inglês do livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, faz sucesso por conta da contemporaneidade dos temas discutidos na trama. Esse é o ponto de vista de Flora Thomson-DeVeaux, responsável pela tradução para o inglês, em vídeo publicado nas redes sociais da Companhia das Letras e da Editora Zahar, que publica a edição "bolso de luxo" do livro.

No vídeo, Flora destaca a contradição de Memórias Póstumas ainda ser um espelho da sociedade, considerando o sarcasmo mordaz do narrador dirigido ao leitor. “É até difícil falar da atualidade de Brás Cubas, porque ele não para de ser atual. Talvez fosse um sinal positivo para a nossa sociedade se ele deixasse de ser atual, pois sua crítica mordaz continua a nos atingir”. 
 
Machado de Assis rompe drasticamente com suas obras anteriores e a literatura brasileira vigente. Surpreendendo leitores e críticos de sua época, o livro traz as memórias fragmentadas de um inusitado narrador defunto que, depois de morto, celebra o grande fracasso que foi sua vida. 

“Uma das coisas que acho mais importantes, pensando em como Brás Cubas faz parte do nosso mundo hoje, é que, embora eu confie em vários outros narradores do Machado, ele tem uma graça particular. É quase uma aula sobre um narrador não confiável. Percebemos a todo momento o que ele está percebendo e o que ele não está percebendo. Há uma ironia dramática constante. Para mim, a tradução foi também uma aula sobre como Machado constrói isso, como vemos o que Brás Cubas é incapaz de ver. Acho que, aqui como em outras obras, embora de um jeito mais distante, estamos aprendendo a ler com Machado”, comenta a tradutora.
 
Entenda a repercussão 
A escritora americana Courtney Henning Novak, de 44 anos, compartilhou no Tik Tok uma resenha de Memórias Póstumas de Brás Cubas. Com mais de 20 mil seguidores no Tik Tok, Courtney tem um projeto de leitura pelo mundo, que consiste em ler um livro de cada país do globo. Este mês, ela está na letra B e chegou ao Brasil. Eu acho que é o melhor livro que eu já li. Acho que é meu novo livro preferido. A experiência de ler este livro é muito prazerosa", disse ela. 

Os dois vídeos feitos por ela sobre Memórias Póstumas somam mais de 800 mil visualizações no Tik Tok. No X (antigo Twitter), um post com o vídeo de Courtney, compartilhado por um brasileiro, alcançou mais de 90 mil curtidas. 
 
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL