Diario de Pernambuco
Busca

Música

Batidão da brasilidade

Dando sequência ao projeto que bombou em 2021, Pabllo Vittar traz novas referências do Norte e Nordeste em Batidão Tropical Vol. 2

Publicado em: 10/04/2024 10:30

Pabllo ainda encontrou uma brecha para emplacar influências do pop sul-coreano  (Gabriel Renné/ Divulgação)
Pabllo ainda encontrou uma brecha para emplacar influências do pop sul-coreano (Gabriel Renné/ Divulgação)

Mesmo separados por aproximadamente 500 quilômetros, os municípios de Santa Inês, no Maranhão, e Santa Izabel do Pará, no Pará, compartilham uma ligação musical peculiar: tanto o forró eletrônico quanto o tecnobrega, respectivamente, convergem na figura artística e pessoal de Pabllo Vittar. Uma das drag queens mais famosas do mundo, a cantora volta às suas origens em Batidão Tropical Vol.2, disponibilizado ontem à noite nas plataformas digitais. Esta é a sequência do aclamado álbum lançado em 2021, onde ela explora os ritmos do Norte e Nordeste que marcaram sua infância.

 

A campanha de divulgação realizada nos pontos turísticos do Nordeste antecipou a nova homenagem da cantora maranhense à sua região de origem. Natural de Santa Inês, Pabllo se mudou para Santa Izabel do Pará quando ainda era muito pequena, levando consigo as melodias do forró de Mastruz com Leite, Magníficos, Desejo de Menina e Aviões do Forró - grupos que ainda influenciam a musicalidade da cantora e são homenageados no álbum. “É muito louco chegar onde estou e poder me vislumbrar com esse tipo de sonoridade”, declarou em entrevista concedida ao Viver.

 

Assim como Batidão Tropical (2021), o público é transportado para um batidão envolvente e diversificado que transita entre ritmos genuinamente brasileiros. No entanto, ao contrário do projeto anterior, cuja produção foi prejudicada pela pandemia, a continuação do trabalho ganha força com a presença de artistas como Joelma e Gaby Amarantos em Pra Te Esquecer e Não Vou Te Deixar - canções icônicas das bandas Calypso e Tecnoshow, respectivamente, que são reverenciadas por Pabllo. “É muito legal ter o aval das artistas que eu gosto”, celebra a cantora.

 

“Este álbum é uma expressão que fez parte da minha infância, da minha arte e da minha jornada como artista. Cada batida, cada letra, é uma parte de mim e estou muito feliz em poder compartilhar com meus fãs toda a energia e paixão que coloquei neste projeto. Preparem-se para dançar, celebrar e se apaixonar, porque este álbum é a cara do Brasil”, garante. No projeto, Vittar regravou músicas marcantes da sua infância, como Ai Ai Ai Mega Príncipe, canção da banda Batidão, que é o segundo single do disco, lançado em 5 de março.

 

Apesar de ser fã declarada de bregafunk, como já demonstrou nos remixes de Amor de Que (2020) e Rajadão (2020), Pabllo Vittar revela que seu gênero favorito de ‘batidão’ no momento é o forró raiz do grupo pernambucano Limão com Mel e Calcinha Preta. “Tenho me apegado muito aos forrós antigos ultimamente. Eu tô bem nessa vibe de endorfina pré-lançamento”, destaca. Pede pra eu ficar, primeiro single do projeto, é embalado pelo forró romântico com sample de Listen To Your Heart, clássico da dupla sueca Roxette. A faixa já acumula mais de 15 milhões de views na soma das plataformas de áudio e vídeo.

 

A sonoridade que passa pelo Maranhão e Pará também faz eco em Seul. Entusiasta do k-pop, Pabllo ainda encontrou uma brecha para emplacar influências do pop sul-coreano na faixa Não Desliga o Telefone. “É óbvio que o álbum é pautado no Norte e Nordeste, mas sempre estou trazendo os elementos que só o k-pop traz”. Em fevereiro, a cantora esteve no show do grupo feminino TWICE e planeja comparecer à apresentação do IVE, prevista para acontecer em São Paulo, no dia 26 de junho.

 

Dedicada especialmente para o Norte e Nordeste, a turnê de Batidão Tropical Vol. 2 já está sendo planejada para rodar o Brasil em 2024. “Eu tô muito ansiosa pra poder mostrar esse trabalho no palco”. Segundo a cantora, este não será o único grande projeto do ano, seja relacionado à música ou não. “Ainda tem muita coisa pra eu fazer esse ano. Temos que fazer de tudo um pouco”, afirma. Vale lembrar que ela estreou no cinema em Crô em Família (2018), além de fazer participações especiais nas novelas A Força do Querer (2017) e O Outro Lado do Paraíso (2018). No mesmo ano, deu voz para uma das protagonistas da série Super Drags, animação brasileira original da Netflix. Desde então, Pabllo não voltou a atuar.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL