Diario de Pernambuco
Busca

Memória

Uma década de salvaguarda do frevo

Às vésperas de comemorar dez anos de sua fundação, o Paço do Frevo se aproxima da marca de 1 milhão de visitantes

Publicado em: 05/01/2024 06:00 | Atualizado em: 05/01/2024 14:25

Espaço disponibiliza exposições, cursos e oficinas (Instagram Paço do Frevo)
Espaço disponibiliza exposições, cursos e oficinas (Instagram Paço do Frevo)

“Pernambuco tem uma dança que nenhuma terra tem”, escreveu mestre Capiba, há 72 anos, na composição É Frevo, meu bem. Reconhecido pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, o passo que teima em permanecer no estado fez palpitar o coração de 157 mil pessoas no Paço do Frevo em 2023. O recorde de visitantes renovou as esperanças do Museu em alcançar a marca de um milhão quando está prestes a celebrar, no próximo dia 9 de fevereiro, uma década de inauguração.

 

 

Responsável pela administração do Paço, o Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG) aposta na programação vibrante e ativa durante o ano inteiro para ultrapassar o primeiro milhão. Na visão de Ricardo Piquet, diretor do IDG, a preservação do frevo está estreitamente ligada à difusão e promoção constante. “Se o sushi e o sashimi não forem consumidos na rua e apenas serem encontrados em hotel, não serão preservados. É a mesma coisa”, aponta. O espaço é certificado pelo Iphan como centro de referência em ações, projetos, transmissão, salvaguarda e valorização de uma das principais tradições culturais do Brasil. 

 

Além dos tradicionais Hora do Frevo, Sábado no Paço e Arrastão do Frevo, o Paço disponibiliza exposições, cursos e oficinas que beneficiam toda a cadeia produtiva no decorrer do ano, não se restringindo à temporada do Carnaval. Entre janeiro e dezembro de 2023, mais de 180 artistas foram impactados e contratados para a programação. “Só é possível se a gente faz frevo todos os dias”, ressalta Luciana Félix, diretora do Paço. Em quase uma década, cerca de 40 mil pessoas se capacitaram em elementos da dança, música e manualidades do ritmo

 

Apesar de exceder as previsões de público, sendo o museu público mais visitado de Pernambuco, a intenção é alavancar ainda mais os números nos próximos anos. Luciana faz um apelo para a população do Recife conhecer mais sobre a manifestação cultural que permeia a cidade.”O nosso desejo é que o visitante, principalmente do Recife, visite mais o Paço. Tem estrutura, capacidade e programação para ser mais visitado. É uma meta para que, nos próximos 5 anos, a gente chegue num número significativamente maior”, indica

 

A arrecadação de verbas surge de diversas frentes para manter e planejar as ações. Além da Prefeitura do Recife, que contribui com R$ 4 milhões, o Paço alavanca o dobro através da iniciativa privada. Porém, a principal fonte de recursos é proveniente dos dispositivos fiscais da Lei Rouanet. Ricardo Piquet enfatiza a necessidade de incentivo à cultura e alega que a verba de R$ 1,6 bilhão liberada pelo Governo Federal é insuficiente. “A gente tem que clamar para aumentar esse valor, porque a cultura além de movimentar nossa mente e alma, gera muito emprego”.

 

As comemorações do aniversário em 9 de fevereiro, mesma data do Dia do Frevo, vão acompanhar o nascer do sol. “ Os clarins começam a tocar às 6h. E aí, vai ser de hora em hora”, antecipa Luciana. Homenagens aos funcionários mais antigos, entrega de medalhas comemorativas e bolo especial vão compor a programação festiva. “O Carnaval vai começar mais cedo, na quinta-feira, mas vamos estar lá marcando presença na sexta”, complementa.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL