Diario de Pernambuco
Busca

LITERATURA

'Engenheiro Fantasma' leva categoria 'Livro do Ano' no Prêmio Jabuti

Obra do poeta Fabrício Corsaletti narra uma suposta temporada de Bob Dylan na Argentina

Publicado em: 06/12/2023 13:00 | Atualizado em: 06/12/2023 13:23

 (Crédito: Maria Comuniqueira/Divulgação
)
Crédito: Maria Comuniqueira/Divulgação
A 65ª edição do Prêmio Jabuti, a mais aguardada cerimônia de premiação do livro brasileiro, ocorreu nesta quinta-feira (5) no Theatro Municipal de São Paulo.
 
Promovida pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), a cerimônia consagrou "Engenheiro Fantasma", de Fabrício Corsaletti, como o Livro do Ano de 2023. Este ano, o prêmio teve 4.245 obras inscritas, distribuídas em 21 categorias nos eixos de Literatura, Não Ficção, Produção Editorial e Inovação. Confira aqui a lista completa dos vencedores.
 
Além de ser contemplado com a estatueta dourada, Fabrício Corsaletti receberá o valor de R$ 70 mil e, de forma inédita, uma viagem para a próxima Feira do Livro de Frankfurt, com uma agenda especial elaborada pela CBL para reuniões com editores, agentes literários e outros escritores do mundo todo. A ideia é apoiar a internacionalização do autor e da sua obra.
 
Outra novidade da premiação em 2023 é a nova categoria, Escritor Estreante, voltada ao escritor ou escritora que tenha publicado sua primeira obra em língua portuguesa no Brasil, no período entre 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2022. Neste ano o vencedor foi Paulo Fehlauer, com a obra "Extremo Oeste", publicado pela editora Cepe.
 
Desde 1958, o Prêmio Jabuti é um patrimônio cultural do país, reconhecendo e promovendo a rica produção literária nacional. A premiação valoriza todos os aspectos do setor editorial, dialogando com diversos públicos e adaptando-se às transformações sociais.
  
A premiação também contou com duas obras com autores em memória. São "A notável história do homem listrado", de Fayga Ostrower, na categoria Ilustração, e "Educação Natural: textos póstumos e inéditos", de João Gilberto Noll, na categoria Conto.
 
Sinopse de "Engenheiro Fantasma"
Na obra vencedora da premiação, Fabrício Corsaletti se imagina na pele de Bob Dylan numa suposta temporada passada na Argentina. Apaixonados, engraçados, melancólicos, filosóficos e delirantes, os 56 sonetos deste Engenheiro fantasma configuram uma experiência singular no panorama da poesia brasileira. Neles, Fabrício Corsaletti veste a máscara de Bob Dylan e narra uma temporada de exílio voluntário que o genial letrista norte-americano teria supostamente vivido em Buenos Aires em algum período não-especificado deste século.

Bairros, bares, cafés, lojas, museus e uma profusão de personagens surgem e desaparecem como num truque de mágica ao longo dos 784 versos talhados com precisão de mestre. Há referências, claro, à poesia do compositor de "All Along the Watchtower", mas menos do que se poderia supor. O que ocorre, de fato, é uma surpreendente mescla da voz dos dois poetas, gerando uma terceira, a que registra essas aventuras portenhas desde já inesquecíveis. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL