Diario de Pernambuco
Busca

CINEMA

Cine Ceará premia curta pernambucano 'Dinho' com Melhor Direção

Publicado em: 03/12/2023 12:10

 (Foto: Rogerio Resende)
Foto: Rogerio Resende
O 33º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema teve sua cerimônia de encerramento na última sexta-feira, homenageando a cineasta independente Verônica Guedes com o Troféu Eusélio Oliveira e, na sequência, com a premiação dos curtas e longas das mostras competitivas. Com mais de 80 filmes exibidos a partir do dia 25 de novembro, entre produções nacionais e de outros países, as três mostras competitivas – Ibero-americana de Longa-metragem, Brasileira de Curta-metragem e Olhar do Ceará – somaram 43 filmes concorrendo ao Troféu Mucuripe em categorias diversas. A cerimônia de encerramento foi realizada no Cineteatro São Luiz, no centro de Fortaleza, e um dos destaques da noite foi o curta pernambucano Dinho, de Leo Tabosa, que venceu o troféu de melhor direção.

Já multipremiado em Gramado com seu curta Nova York, de 2018, o cineasta traz agora uma comovente história acompanha Dinho (Juan Calado), um menino que mora com a tia no interior e foi abandonado ainda pequeno pela mãe (Hermila Guedes), que foi morar na capital e agora retorna para reatar os laços com ele. Rodado em Aracoiaba, no Ceará, e com fotografia do cineasta Petrus Cariry (Mais pesado é o céu), Dinho é composto por quadros quase sempre estáticos e que expressam ao mesmo tempo uma desolação sentida pelo personagem, no cenário vasto que o cerca, e um encantamento já reconhecível na filmografia de Leo Tabosa com a beleza paisagística do Sertão.

"O Cine Ceará proporcionou a mais bonita e emocionante exibição de Dinho no Cineteatro São Luiz, com a participação da equipe e amigos da Comunidade de Vazantes. Foi lindo perceber que o filme se comunicou com o público e foi muito bem recebido e respeitado pelos críticos presentes no Festival. O reconhecimento do júri com o troféu Mucuripe de Melhor Direção legitimou a generosidade, o talento e profissionalismo do elenco", afirmou o diretor, que é também produtor cultural da Universidade Católica de Pernambuco.

O curta vencedor do prêmio de melhor filme foi o cearense Os finais de domingos, de Olavo Junior, enquanto o paraibano Pulmão de pedra, de Torquato Joel, venceu o prêmio Canal Brasil além do prêmio de roteiro e o troféu da Abraccine. Na competição de longas, o destaque foi o cubano A mulher selvagem, de Alan Gonzáles, que venceu como melhor filme e atuação principal (Lola Amores), enquanto o argentino Alemanha, de María Zanetti, conquistou os troféus de direção e roteiro. Encerrando a programação, houve a exibição especial de Estranho Caminho, premiado longa-metragem cearense do diretor Guto Parente. 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL