Diario de Pernambuco
Busca

OFICINA

ONG Arco realiza oficina para pessoas LGBTQIAP+ e negras, em Jaboatão

Entre os temas abordados estarão: os fundamentos de uma maquiagem básica, técnicas para a preparação de pele e contorno e iluminação para realçar a beleza individual.

Publicado em: 29/11/2023 15:22 | Atualizado em: 29/11/2023 15:26

Oficina é voltada para pessoas LGBTQIAP  e negras (Divulgação)
Oficina é voltada para pessoas LGBTQIAP e negras (Divulgação)

 

Com o foco em proporcionar a oportunidade para capacitação, empoderamento e iniciação profissional para pessoas LGBTQIAP+ e negras, a ONG Arco realiza, amanhã (30), o evento "Éh Clôse - Oficina de Automaquiagem para pessoas LGBTQIAP ", na sede da instituição, localizada na rua Sebastião Mendes Cahú, 27, Padre Roma, em Jaboatão dos Guararapes. A qualificação gratuita é direcionada para estes públicos, que tem o interesse na área de Beleza, mas não podem investir na profissionalização. 

 

A oficina terá 4h de duração, começando às 9h e seguindo até as 13h, com certificado após a conclusão. Entre os temas abordados estarão: os fundamentos de uma maquiagem básica, técnicas para a preparação de pele e contorno e iluminação para realçar a beleza individual. Os participantes terão a chance de colocar em prática os conteúdos e tirar dúvidas. Serão disponibilizadas o total de 20 vagas para a oficina. Os interessados em participar podem se inscrever até as 23h59 desta quarta-feira (29), através do site: www.ongarco.org/close.                                       

 

O evento terá a colaboração do maquiador Profissional, Júlio Lopes, que tem 32 anos de experiência neste ramo, com expertise em MakeUp Glam, TV, Publicidade e cinema. “Éh Clôse é mais do que uma oficina de automaquiagem; é uma jornada de descoberta e aperfeiçoamento da própria visão de beleza, fortalecendo a identidade e autoestima de cada participante através da maquiagem. Representa um espaço seguro e acolhedor para trocas, crescimento e capacitação”, afirmou o presidente da Arco, Carlos Santos.

 

O presidente da instituição explica que a capacitação é importante por ter potencial catalisador para o empreendedorismo e a sobrevivência de pessoas LGBTQIAP e negras a partir da aprendizagem e desenvolvimento de uma nova habilidade profissional. “O preconceito e a discriminação têm potencial para afastar as pessoas do mercado de trabalho. Durante a pandemia, por exemplo, 6 em cada 10 pessoas LGBTQIAP perderam o emprego ou a renda. Aprender uma habilidade profissional que possibilite a pessoa produzir sua própria renda é uma estratégia de empoderamento capaz de mitigar o impacto da exclusão dessa população no mercado de trabalho”, ressaltou Santos. 

 

Tags: jaboatão | ong | oficina | lgbtqiap |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL