Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

JÔ SOARES

Filho único de Jô Soares era autista e morreu em 2014 aos 50 anos

Publicado em: 05/08/2022 13:10

 (crédito: Arquivo pessoal)
crédito: Arquivo pessoal
Jô Soares, que morreu aos 84 anos de idade na madrugada desta sexta-feira (5), teve um único filho, Rafael Soares, que faleceu aos 50 anos em 2014.

Rafael Soares foi fruto do relacionamento de Jô Soares com a atriz Teresa Millet Austregésilo, com quem foi casado entre 1959 e 1979.

Ele fazia parte do espectro autista em um nível severo, necessitando de um maior apoio para as atividades da vida diária. Sempre discreto em relação ao filho, em 2013 Jô abordou o assunto.

"Eu tenho um filho que é autista, tem uma série de problemas que em certos momentos até se agravam ou se agravaram, já é uma condição genética que ele tem e claro que é uma situação mais difícil de você se comunicar com o filho, que tem dificuldade de se comunicar com você e com todo mundo. O autista é isso, vive no mundo dele. Mas você não pode deixar que isso seja o foco principal da sua vida. É também um foco tão importante quanto tudo", declarou o apresentador.

O único herdeiro de Jô Soares foi diagnosticado com um câncer no cérebro em 2013, no qual passou por tratamento. Em 30 de outubro de 2014, Rafael foi hospitalizado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, cidade onde morava, e morreu no dia seguinte, aos 50 anos.

Jô Soares fez um discurso emocionado no primeiro Programa do Jô após a morte de Rafael, em 3 de novembro daquele mesmo ano.

"A nossa abertura hoje vai ser um pouco diferente, porque na última sexta-feira (31), eu sofri o pesadelo de todo pai, a inversão da ordem natural das coisas, a perda de um filho. Meu filho Rafael esteve no mundo durante 50 anos e foi uma criança especial. Como era autista, permaneceu menino até o fim", disse ele.

"Passou a vida inteira na realidade do próprio mundo. Corpo de adulto, coração e alma de criança. Adorava música, tocava piano, mas sua grande paixão era o rádio. O Derico, em uma prova singela de amizade, até chegou a gravar as vinhetas. E ele não tirava a rádio do ar nunca, até mesmo no seu aniversário, nem na hora de apagar a velinha. Vivia com entusiasmo e até com paixão. Tenho muito orgulho do meu filho. Gostaria de dedicar essa abertura a ele e a Theresa, sua mãe, que foi minha grande companheira durante 20 anos. Também quero aproveitar para agradecer o carinho de pessoas queridas, amigos e desconhecidos", completou.

Assista:
 


Em participação no programa Conversa com Bial, em 2017, Jô Soares rebateu as acusações de que escondia o filho.

"Eu jamais esconderia meu filho. Tinha orgulho desse talento musical que ele tinha, um ouvido absoluto. Ele fez a música do meu show, tinha um dom, mas a incapacidade de produção era total. Uma capacidade para aguentar sofrimento. Ele ainda foi presenteado com câncer violento e quando começou a fazer o tratamento de quimioterapia, um enfermeiro, na hora de aplicar, errou e fez uma queimadura no Rafinha. Queimou o peito todo dele", declarou.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
WIDGET PACK - Sistema de comentários
Manhã na Clube: entrevistas com dr. Heitor Medeiros e André Navarrete (Innovation Meeting)
Em busca de água, indígenas brasileiros encontram novo lar
Manhã na Clube: entrevista com Carlos Veras (PT), deputado federal
China executa maiores exercícios militares em décadas
Grupo Diario de Pernambuco