Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

TESTEMUNHOS

Marilyn Manson abusava de mulheres em uma caixa de vidro à prova de som

Publicado em: 18/11/2021 08:48

O quarto de tortura era mantido como uma 'brincadeira' pelo cantor em seu apartamento (Foto: Lisa O'Connor/AFP)
O quarto de tortura era mantido como uma 'brincadeira' pelo cantor em seu apartamento (Foto: Lisa O'Connor/AFP)
Conhecido mundialmente como Marilyn Manson, Brian Warner foi acusado no último domingo (14), através de uma série de relatos na revista Rolling Stone, de abusos psicológicos e sexuais contra mulheres. De acordo com a publicação, Manson mantém uma caixa de vidro - à prova de som - dentro do apartamento que tem em Nova York, onde seriam realizados os abusos.
 
O local tem até nome: “quarto das meninas más” (bad girls room). Segundo relato de uma das mulheres à revista, a caixa era usada para “punir as transgressões" das parceiras. Ainda de acordo com a ex-namorada, Ashley Morgan Smithline, o cantor a deixava por horas no local, em um ritual semelhante à tortura. “No começo, ele fazia parecer algo legal. Então, ele a fez parecer algo bastante punitivo. Mesmo que eu gritasse, ninguém me ouviria”.
 
Vale lembrar que Ashley Walters, uma ex-assistente de Manson processa o artista por abuso sexual. De acordo com os autos do processo, Manson “mantinha (a caixa) em um tom de piada, se gabando”.
 
Entre outros detalhes sobre o local onde fica o objeto, a revista pontua que os móveis são decorados com sangue, suásticas e fotos pornográficas. A pintura do apartamento é toda em preto e as cortinas barram qualquer entrada de luz. Além disso, a publicação lembra que a temperatura do quarto é sempre de 18 graus celsius.
 
Memória
No dia 1º de fevereiro deste ano, a atriz Evan Rachel Wood usou o Instagram para distribuir uma carta aberta contra Manson. “O nome do meu abusador é Brian Warner, também conhecido como Marilyn Manson. Ele começou a me aliciar quando eu era apenas uma adolescente e abusou horrivelmente de mim durante anos. Fui submetida a uma lavagem cerebral e manipulada até a submissão”, diz trecho da mensagem.
 

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Eriberto Medeiros (PP), presidente da Alepe
Unicap continua com as inscrições abertas para Vestibular 2022
Bruno Becker, da chapa Náutico Sustentável, divulga projetos para o Timbu
Manhã na Clube: entrevista com o deputado estadual Romero Sales Filho (PTB)
Grupo Diario de Pernambuco