Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

CULTURA POPULAR

Festival de Coco de Roda de Engenho tem atrações virtuais a partir desta quarta

Publicado em: 08/09/2021 16:07

 (Foto: André Pina/Divulgação)
Foto: André Pina/Divulgação

Com o objetivo de fomentar e incentivar a cultura popular, a partir da vivência do coco de engenho ou rural, de origem da cidade de Nazaré da Mata, Mata Norte de Pernambuco, dezenas de grupos culturais da região dão início, nesta quarta-feira (8), ao 2º Festival Coco de Roda de Engenho. O evento é realizado com apoio da Fundarpe, Secretaria de Cultura, Governo do Estado por meio dos recursos do Funcultura. A novidade é que este ano  os shows contarão com tradução simultânea em Libras, para pessoas surdas ou ensurdecidas. A programação cultural será realizada até o domingo, 12, por meio da página do festival no Youtube, sempre às 20h. Confira a programação no final da matéria.

Todas as noites, duas atrações animam o público, que poderá assistir no conforto de casa, gratuitamente. Os shows culturais, misturam cores, versos, danças, sons, ritmos, poesia, criatividade e muita beleza cultural. "É uma alegria poder transmitir, ao mundo, por meio da internet, essa manifestação cultural tão raiz, tão nossa", afirma Endreson Ribeiro, coordenador geral do festival. A festividade também tem como proposta fazer o resgate da memória cultural e salvaguarda da linguagem do coco da Zona da Mata pernambucana. 

Em Pernambuco há diferentes grupos de cocos de roda, mas o que está presente na região da Mata Norte têm uma identidade única. "Nossos grupos buscam trazer em suas apresentações cantigas de trabalho dos cortadores de cana de açúcar dos engenhos da região" destaca Ribeiro. Ele também destaca outras particularidades sobre o coco rural e o coco de engenho. "Os instrumentos utilizados na execução do ritmo são chamados de terno. São eles: bombo, mineiro, e caixa.  A dança também tem sua particularidade. Aqui, dançamos formando um círculo e girando de par em par dando umbigadas. A estrutura poética dos versos  são de repetições de perguntas e respostas, quartilhas, sextilhas, e de linhas de improviso", acrescenta. 

“Relatos populares indicam que essa manifestação é secular, e aparece junto com o maracatu rural nos canaviais da Mata Norte, região que abriga uma grande concentração de mestres coquista, que revezavam-se  formando um único grupo, fazendo as sambadas nos engenhos até o amanhecer do dia”, diz Régis Arruda, produtor executivo. 

A tradição do Coco Rural tornou-se mais efetiva no início da década de 1970. Com o começo da queda dos engenhos para as usinas, várias famílias migraram da zona rural para a cidade. Nesse processo de êxodo rural, trouxeram consigo suas crenças e culturas. E não demorou muito para que essas manifestações começassem a acontecer, só que agora nos perímetros urbanos do município.

Confira a programação:

Quarta-feira (8)
20h Coco Luz do Sol (Nazaré da Mata) 
Coco de Yá ( Goiana)

Quinta-feira (9)
20h Flores do Coco (Amunam -  Nazaré da Mata) 
Mestre Biu do Coco ( Aliança)

Sexta-feira (10)
20h Coco da Mata ( Nazaré da Mata)
Grupo Cultural Bio Caboclo (Lagoa de Itaenga)

Sábado (11)
20h Coco de Roda Canavial ( Nazaré da Mata)
Mestre Zé de Teté (Limoeiro)

Domingo (12)
20h Coco de Derval ( Nazaré da Mata)
Coco Mano de Baé (Tracunhaém)

SERVIÇO
2º Festival de Coco de Roda de Engenho começa nesta quarta-feira com atrações online e gratuitas
Quando: De 08 a 12 de setembro
Onde: Canal do YouTube
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
As mães em plena pandemia: casal paulista adota cinco irmãos de Serra Talhada
Bolsonaro aumenta IOF para custear novo Bolsa Família
Surto de Covid-19 obriga Presidente da Rússia a ficar em isolamento
Manhã na Clube: entrevistas com o deputado Eduardo da Fonte (PP), Elias Paim e Diego Martins
Grupo Diario de Pernambuco