Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

RECUPERAÇÃO

Ana Maria Braga testa positivo para Covid-19; 'Agora, tenho que ficar quietinha'

Publicado em: 05/07/2021 10:19 | Atualizado em: 05/07/2021 10:28

A apresentadora descobriu ao fazer a testagem semanal nos estúdios da Globo (Foto: Globo/Reprodução)
A apresentadora descobriu ao fazer a testagem semanal nos estúdios da Globo (Foto: Globo/Reprodução)
O começo do Mais Você desta segunda-feira (5) foi diferente. No lugar de Ana Maria Braga, Felipe Andreoli e Fabrício Battaglini estavam à frente do programa. O motivo é que Ana Maria testou positivo para a Covid-19.
 
"Ana Maria testou positivo para Covid-19. Mas ela está bem. Ainda hoje vamos falar com ela e contar como ela pegou e como ela está", afirmou Fabrício. Felipe ressaltou que Ana Maria, de 72 anos, tomou as duas doses da vacina, mas que isso não significa que o imunizante não funcione.
 
 
Do hospital, Ana Maria Braga conversou com Fabrício e contou que sintomas parecidos com os de uma gripe, como dor de garganta, apareceram na quinta-feira. "Estou ótima. Mas a gente não espera e se assusta. A gente faz teste duas vezes por semana (no estúdio) e o de hoje deu positivo. Agora, tenho que ficar quietinha", contou. A apresentadora acrescentou que desconfiou que estava infectada porque de manhã não sentiu o cheiro do perfume dela e a perda do olfato é um dos sintomas da Covid-19.
 
O programa recebeu também um infectologista para explicar como Ana Maria, mesmo com as duas doses da vacina, foi infectada. O especialista ressaltou que as vacinas não impedem 100% que as pessoas sejam infectadas, mas "diminuem a forma grave da doença. Por isso é importante que o uso da máscara e outras formas de evitar o contágio continuem."
 
Ele ainda ressaltou que a "proteção (das vacinas) associada a qualquer uma das variantes que estão no país tem se mantido muito robusta. Até agora elas (as variantes) não apresentaram prejuízo nesse sentido."
 
O especialista ainda destacou um estudo americano realizado com pessoas que fazem parte das profissões de alto risco de exposição ao vírus, como a área de saúde, garçons e balconistas, alguns vacinados, outros não. "Os vacinados que contraíram a doença tiveram 6 dias a menos de sintomas, precisaram de 3 dias a menos de repouso, apresentaram 60% a menos de tempo de febre e transmitem o vírus com menos frequência para quem estar ao redor", explicou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Bolsonaro investigado: Não aceitarei intimidação
Manhã na Clube: entrevistas com prefeito João Neto (PL), dra Tamires Sales e advogado Rômulo Saraiva
Manhã na Clube: entrevistas com Chico Kiko, Diego Pascaretta e Rômulo Saraiva
Domitila, artivista e recifense que está entre as selecionadas do Miss Alemanha 2021
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco