Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

PATRIMÔNIO

Igrejas e prédios históricos do Brejo da Madre de Deus são tombados

Publicado em: 20/04/2021 13:00

Igreja de São José na primeira metade do século 20 e na atualidade (Foto: Wikipedia e Mapio/Reprodução)
Igreja de São José na primeira metade do século 20 e na atualidade (Foto: Wikipedia e Mapio/Reprodução)

O  Núcleo Urbano do município do Brejo da Madre de Deus foi tombado pelo Governo de Pernambuco nesta última segunda-feira (12), por meio do Decreto Nº 50.527, assinado pelo governador Paulo Câmara. O tombamento inclui edificações como a Igreja de São José, a Igreja de Nossa Senhora do Bom Conselho, a Casa da Câmara e o Museu Histórico. A ocupação da localidade data do século 18, pois em 1759 conquistou o credenciamento de Freguesia, passando a atrair população e negócios e abrigando instituições públicas que atendiam a demandas não só do Agreste, mas também do Sertão.

Em 1814, a Ouvidoria que funcionava na Vila de Cimbres, em Pesqueira, transfere-se para o local. A partir de 1825, a população passa a  pressionar as autoridades para que o Brejo se transforme, também, em vila. O requerimento, no entanto, seria atendido em 1833.

Mais sobre o tombamento
O Decreto Nº 50.527 homologa a Resolução nº 15, de 3 de outubro de 2019, do Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco (CPPC-PE), que, na ocasião, deliberou pelo tombamento do centro histórico do Brejo da Madre de Deus por conta do valor histórico, arquitetônico e ambiental. A nota técnica que deu embasamento para a resolução foi elaborada pela Gerência de Preservação do Patrimônio Cultural (GPPC) da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe).

Todas as diretrizes apresentadas na nota técnica constam do Plano de Preservação do Centro Histórico do Brejo da Madre de Deus (2010), também elaborado pela Fundarpe, e que é objeto de recomendação na Resolução nº 15/2019 do CEPPC para que se incorpore ao Plano Diretor do município. O sítio encontrava-se protegido, em caráter provisório, desde a abertura do processo de tombamento, em julho de 1985.
 
De acordo com Neide Fernandes de Souza, gestora da Unidade de  Patrimônio Histórico e Material da GPPC/Fundarpe, o município do Brejo da Madre de Deus tem as suas ruas, edifícios e tipos populares imersos na história política e social de Pernambuco. “O resgate de sua memória aporta, enfim e, sobretudo, um testemunho essencial dos fatos e valores da história interiorana, indispensável à tentativa de entender o processo de desenvolvimento pernambucano como um todo", explica Neide Fernandes. Segundo ela, outras duas cidades estão com processo de tombamento em tramitação: Belém do São Francisco e Floresta (ambos no Sertão do São Francisco).

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
De 1 a 5: dicas para destravar sua criatividade e ampliar a percepção
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 10/05
Gil do Vigor é recebido com festa da população e honraria em Paulista
Imunização para gestantes começa a ser liberada, mas ainda gera dúvidas
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco