Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

CULTURA

Festival Bonança investe na difusão da cultura popular nordestina em edição virtual

Publicado em: 16/04/2021 17:48 | Atualizado em: 16/04/2021 17:53

A programação conta com a presença de Cida Pedrosa, Jorge Filó e Susana Morais (Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação, Jan Ribeiro/Divulgação e Divulgação
)
A programação conta com a presença de Cida Pedrosa, Jorge Filó e Susana Morais (Foto: Andréa Rêgo Barros/Divulgação, Jan Ribeiro/Divulgação e Divulgação )

A lírica do sertão e as manifestações culturais do interior de Pernambuco ganham destaque na nova edição virtual do Festival Bonança – do Sertão ao Litoral, com expressões artísticas da música e da poesia e ainda uma atividade formativa para poetas. Neste sábado (17), a partir das 16h, o evento reúne nomes como Cida Pedrosa, Jorge Filó, Susana Morais, Haidée Camelo, Oliveira de Panelas, o trio Em Canto e Poesia. O festival é gratuito e será transmitido pelo canal da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco no YouTube.

O festival contará com ações formativas, oficinas, rodas de conversa e apresentações musicais de Oliveira de Panelas, com voz e viola e 60 anos de cantoria, e também do trio Em Canto e Poesia, composto pelos irmãos Marinho. Já as apresentações poéticas ficam por conta de Jorge Filó, cordelista, e Cida Pedrosa, poeta que recentemente foi a vencedora do Prêmio Jabuti de Literatura. A curadoria é assinada por Rogério Robalinho. "A proposta do festival é trazer a pujança e a riqueza da lírica do sertão, um evento sobre poesia e vida. Teremos música, intervenções poéticas, rodas de conversas e ações formativas", adianta o coordenador técnico Guilherme Robalinho.

De acordo com Robalinho, o evento é uma oportunidade para promover a valorização da cultura pernambucana. "Nós dá um ânimo, é uma satisfação muito grande fazer com que as pessoas tenham esse contato com a nossa cultura de raiz… Levar encantamento e poesia para as pessoas", defende o coordenador. Guilherme explica, ainda, que o formato auxilia na propagação dos saberes populares. "O digital é uma necessidade desses tempos, foi natural buscar essa alternativa. A área de eventos está precisando se reinventar e a internet faz com que possamos acessar um novo público", destaca. O festival tem apoio da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco.

Dentro da programação, as ações formativas e rodas de conversas visam discutir temáticas acerca do sertão pernambucano e a preservação do patrimônio imaterial, como é o caso do bate-papo Grande Sertão: Poesia e Vida- Existe um ou vários sertões?, comandado pela poeta Cida Pedrosa, a cordelista Susana Morais e a professora Haidée Camelo, mestre em linguística que faz parte do grupo Sete Bocas de Luz, formado por compositores, intérpretes, músicos e poetas que percorrem cidades do interior de Pernambuco e da Paraíba. A conversa vai abordar as características de cada microrregião que há dentro do Grande Sertão, que se denominam de acordo com os acidentes geográficos.

O trio também reflete sobre as mudanças que vêm alterando a cultura popular, seus usos e costumes, mas ainda assim mantém a tradição dos poetas, cantadores e violeiros. E visa responder os questionamentos: será que os paredões musicais estão acabando com o xote, xaxado e baião? Ou será que o novo Sertão se modernizou e agora é igual a qualquer outra região?

Sobre a questão, Guilherme Robalinho é enfático. "A gente entende que não há um risco para que essas tradições - que são passadas de pais para filhos - se acabarem, isso permanece, faz parte da identidade da região. As bandeiras estão muito bem protegidas", discorre Robalinho. O festival abriga também a conversa “Desvendando os segredos do repente - aprenda a improvisar com um repentista, guiada por Edmilson Ferreira e destinada aos poetas.

Apresentado por Tony Oliveira, o evento conta, ainda, com suporte de acessibilidade para deficientes auditivos, com a presença de intérpretes de libras na ação formativa e nos dois recitais da poética nordestina. As edições passadas do Festival Bonança costumavam alcançar um público de mais de 2 mil pessoas por ação, a expectativa é que a edição online consiga superar essa média.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Equipamento desenvolvido pela UFPE elimina o coronavírus de ambientes de forma automatizada
ONU marca reunião para discutir a crise no Oriente Médio
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 14/05
Cuba inicia vacinação contra a Covid-19 com imunizante próprio
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco