Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

CANCELAMENTO

'A vida depois do tombo': documentário sobre ex-BBB Karol Conká estreia no Globoplay

Publicado em: 29/04/2021 09:35

A participante saiu do programa com taxa de rejeição recorde na história do reality (Foto: João Cotta/Globo)
A participante saiu do programa com taxa de rejeição recorde na história do reality (Foto: João Cotta/Globo)
O Globoplay estreia nesta quinta-feira (29) a série documental A vida depois do tombo. Em 4 episódios, a diretora Patrícia Carvalho vai rever a trajetória da rapper e ex-BBB Karol Conká, eliminada do reality show com a rejeição recorde de 99,17%.
 
“Vejo o documentário como uma oportunidade, em tempos de cancelamento, de relembrar que somos muito mais complexos do que um reality show é capaz de mostrar”, escreveu Karol no Twitter a menos de uma semana da estreia do documentário.
 
Enquanto participou do BBB 21, Karol foi vista como vilã e decepcionou o público, liderando uma perseguição ao ator Lucas Penteado e à advogada Juliette. Por isso, há dúvida se A vida depois do tombo vai “passar pano” para a rapper, tentando livrar a barra da cantora, que teve participação em festivais, como o Rec-Beat, cancelada.
 
“Sempre que a gente tira totalmente o nosso eu diante do espelho, tem algo que a gente não gosta. Essa é a Karol Conká diante do espelho”, afirmou a diretora, em entrevista ao Fantástico, assumindo o risco de Karol não gostar do que vai ver na tela.
 
“Quais são as faces e as camadas da Karol que confundem a gente? Durante o documentário, ficamos na dúvida muitas vezes. Dúvidas sobre quem é ela, o que era falso ou verdadeiro. Ela está sentindo isso mesmo ou está me manipulando?”, completa.
 
Para captar as imagens de A vida depois do tombo, a equipe de Patrícia Carvalho colou na rapper um dia depois da eliminação e foi atrás de familiares e amigos para entender a carreira e as atitudes da artista.
 
“A gente ficou 25 dias grudados na Carol, vivendo com ela. Era muito importante a gente chegar já gravando e pegar essa mulher quando acordava, no almoço com a família e ouvir os diálogos, porque quando você está ali com uma câmera mais escondidinha, um pouquinho mais para trás, é igual Big Brother, você de vez em quando esquece que está sendo gravada. Como ela reagiria a tanto ódio, como reagiria a forma que as pessoas lidaram com a família dela”, continua.
 
A vida depois do tombo não vai falar apenas da trajetória de Karol como ex-BBB e deve ganhar o público com os dramas pessoais da cantora, como o alcoolismo do pai.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
De 1 a 5: dicas para destravar sua criatividade e ampliar a percepção
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 10/05
Gil do Vigor é recebido com festa da população e honraria em Paulista
Imunização para gestantes começa a ser liberada, mas ainda gera dúvidas
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco