Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

CINEMA

Conheça o ator Guto Galvão, destaque em filme sobre escravidão contemporânea com Dira Paes

Publicado em: 29/12/2020 09:01

Guto Galvão vive Maranhão, rapaz que vive em condições análogas ao trabalho escravo no interior do Pará (Foto: Divulgação)
Guto Galvão vive Maranhão, rapaz que vive em condições análogas ao trabalho escravo no interior do Pará (Foto: Divulgação)

O ator paraense Guto Galvão, 27, está fazendo sua estreia no cinema com um papel denso em um enredo igualmente forte. Com carreira artística iniciada há quatro anos, ele vive o personagem Maranhão em Pureza, longa-metragem dirigido Renato Barbieri, protagonizado por Dira Paes e vencedor de nove  prêmios internacionais - sendo o mais recente o de melhor atriz para Dira, no  o 17º Salento International Film Festival. O longa é baseado na história real de Dona Pureza Lopes Loyola, que passou a trabalhar em uma fazenda no interior do Pará para encontrar um filho desaparecido e acabou descobrindo, na década de 1990, uma rede de esfravidão contemporânea, temática do filme junto ao racismo, desigualdade, fome e pobreza.

O personagem Maranhão é um desses trabalhadores atraídos por promessas na fazenda. Com a ausência de salário e cobranças indevidas, ele incentiva os companheiros a reclamar por melhores condições e acaba sendo torturado - cena que é um dos momentos fortes do filme. Também é a partir de Maranhão que Pureza consegue ter uma noção mais clara do que realmente ocorre nessas fazendas.

"O filme tem um aspecto quase que de denúncia, querendo ou não é uma história atual e que ocorre tanto no Brasil urbano quanto no Brasil rural, diz Guto Galvão, em entrevista ao Diario de Pernambuco. "Ainda temos muitas fazendas, muitos latifúndios onde os trabalhadores são atraídos com o pretexto de receber melhores salários, mas são cobrados por coisas que nunca dão conta. E trata-se de fazendas enormes, de dimensões que muitas vezes impedem a tentativa de fugir", diz o artista.

Guto Galvão é advogado por formação e passou a se dedicar  exclusivamente à carreira artística após uma grave doença no coração em 2015. "Comecei a questionar coisas da minha vida. A partir dessa experiência, comecei a parar de repreender desejos e quis seguir o que sempre tive vontade. Em 2016, tive a oportunidade de fazer o Espaço Amazônico, da TV Brasil, gravado em Belém com elenco paraense”, explica. "No mesmo ano, também participei do clipe de Quem não te quer sou eu, da Fafá de Belém, e com esses acontecimentos da carreira decidi me mudar para o Rio de Janeiro, onde estou me inserindo pouco a pouco. A oportunidade para participar da Pureza surgiu em 2018."

 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação


Já na capital fluminense, o ator estudou na Casa das Artes Laranjeiras (CAL), conhecida instituição de ensino de artes cênicas do Brasil. Também passou a integrar o time de atores da Artífice, empresa de agenciamento e assessoria artística comandada por Ciça Castello, produtora do elenco de Pureza. "Ela montou essa equipe que tem como diferencial a diversidade, desde pessoas pretas até LGBTQI+, dando oportunidades de falarmos sobre nossas pautas", diz Guto, que foi escolhido por Castello em uma pesquisa de atores.

O ator concorda com a premissa de que a região Norte tem um certo potencial ainda inexplorado pelo cinema brasileiro. "Eu entendo que o Norte é um lugar absolutamente fértil, com temáticas políticas e humanas. É um lugar cheio de histórias para contar, com lugares lindos e cinematográficos. Não faltam possibilidades para uma aceitação do audiovisual na região Norte", opina Belém. Ele também falou sobre a experiência de contracenar com Dira Paes, atriz que se tornou uma inegável representatividade nortista no cinema e na TV:

"O fato da Dira ser da minha terra e ter saído para atingir o lugar que conseguiu é uma inspiração. Eu decidi largar a advocacia para seguir a carreira artística, então foi incrível observar ela trabalhando, poder conhecer esse ser humano lindo e humilde. A grande parte de seus trabalhos possuem alguma temática social, o que chama atenção para problemas”, finaliza Guto.

Pureza foi exibido no 10º Utopia - UK Portuguese Film Festival, em Londres, em novembro, e no 42º Festival del Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana, em dezembro. Também ganhará as telas 25º International Film Festival of Guadeloupe, entre 23 e 30 de janeiro de 2021. Ao todo, o drama já recebeu 17 prêmios nacionais e internacionais. 

Confira o trailer:

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Manhã na Clube com Rhaldney Santos - 25/01
Enem 2020: professores do Colégio Núcleo comentam ao vivo as provas deste domingo
Verão inspira cuidados com a saúde e alimentação
Resumo da semana: enfim, a vacina, posse de Biden e cerco contra os fura-filas
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco