Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

LIVE

Fundaj e APL realizam live sobre a obra de Joaquim Cardozo

Publicado em: 06/10/2020 12:03

 (Foto: Reprodução)
Foto: Reprodução
 
Em parceria da Fundaj e APL, o jornalista José Mário fala sobre a vida e obra de Joaquim Cardozo, como parte das Celebrações da Memória do engenheiro-poeta. O evento será em uma live, nesta quarta (7), às 17h, via YouTube. A parceria entre a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e a Academia Pernambucana de Letras (APL) revisita a história de personalidades de Pernambuco em uma série de lives.

Detentor da cadeira nº 30, da APL, José Mário dividirá a apresentação em dois momentos, alternando entre aspectos biográficos do autor de O Coronel de Macambira (1963) e a sua poesia contada e cantada. "Musiquei dois poemas dele, mas só quem assistir verá", adianta, ao falar da apresentação especial de Cantadeiras e Poema do Amor Sem Exagero. Autor do livro de poemas O voo da eterna brevidade (2014), ele promete revelar pequenos causos que acompanhou sobre o homenageado, como a resposta a uma pergunta extra-oficial que lhe fez durante entrevista. 

Natural do Recife, Joaquim Cardozo se tornou um dos maiores nomes no Século XX por transitar entre a poesia, a dramaturgia e o universo rígido das ciências exatas. Ainda assim, soube com naturalidade estabelecer uma relação entre ambos espaços. Ocupou a cadeira nº 39 da APL, foi professor universitário, desenhista, ilustrador, caricaturista, crítico de arte e editor de revistas de arte e arquitetura. Além da poesia, atuou como tradutor, escreveu contos e peças teatrais, como De uma noite de festa (1971), Os anjos e os demônios de Deus (1973), O capataz de Salema (1975), Antônio Conselheiro (1975) e Marechal, boi de carro (1975).

"Ele poderia ser dito como um gênio, pois além de ser um grande poeta era o engenheiro calculistas preferido de Oscar Niemeyer", aponta o jornalista. O arquiteto modernista tinha grande apreço por Cardozo e concordava que ele era "o brasileiro mais culto que existia". Assim, o poeta pernambucano foi também o engenheiro responsável pela cálculos de inúmeros projetos de Niemeyer, dentre eles os palácios do Planalto, Alvorada e Itamaraty. "Há quem afirme que a maioria dos projetos bem sucedidos só foram possíveis graças à sua genialidade. Também por dera, o homem falava 15 línguas. Inclusive, chinês."

Serviço
Celebrações da Memória de Joaquim Cardozo, por José Mário Rodrigues
Quando: Quarta-feira (7), às 17h

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Candidatos têm características das mais distintas, mas estão longe de representar os grupos sociais
Resumo da semana: 5 anos do surto de microcefalia, Covid suspende aulas e nova pesquisa no Recife
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #289 - Colênquima e esclerênquima
Rhaldney Santos entrevista Dra. Larissa Ventura, oftalmopediatra
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco