Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

TV

Globo exibe Nada Será Como Antes em comemoração aos 70 anos da TV no Brasil

Publicado em: 16/09/2020 19:30

 (Foto: Estevam Avellar/Globo
)
Foto: Estevam Avellar/Globo

Nada Será Como Antes, história sobre a chegada da televisão no Brasil com todos os elementos do folhetim, será exibida em formato de telefilme no Supercine deste sábado (19), na TV Globo. A série, exibida originalmente em 2016, é criada por Guel Arraes e Jorge Furtado, tem direção artística de José Luiz Villamarim, e faz parte da programação especial da TV Globo para celebrar os 70 anos da TV no Brasil. 
 
Criada por Guel Arraes e Jorge Furtado e escrita por Guel Arraes, Jorge Furtado e João Falcão com Mauro Wilson, a série teve direção artística de José Luiz Villamarim, direção geral de Luisa Lima e direção de Isabella Teixeira. A trama é ambientada em meados de 1940 até o final dos anos 1950, e tem como fio condutor o drama romântico do empreendedor Saulo (Murilo Benício) e da locutora de rádio Verônica (Débora Falabella), que depois se torna uma estrela da TV. A trajetória do casal acompanha a transformação dos meios de comunicação do país.

Paralelamente à trama dos protagonistas, a história em torno dos irmãos Otaviano (Daniel de Oliveira) e Julia (Leticia Colin), jovens ousados da alta sociedade carioca que apostam no sonho de Saulo de trazer a televisão para o Brasil, tem grande destaque na trama e estará ainda mais em evidência na versão em telefilme. 

"As duas histórias funcionam como duas novelas de estilos diferentes. A primeira, mais clássica, e a segunda, digamos, mais apimentada", explica o autor Guel Arraes, que ficou à frente do processo de edição para transformar a série em telefilme. "Além disso, temos a novela propriamente dita que era encenada na trama, uma história do século XIX. Como o gênero é o centro da televisão brasileira optamos por trazer as duas “novelas” para o mesmo plano e como pano de fundo seguimos com as referências que usamos para contar a história da televisão e o sentimento que existia de crença no Brasil, que nessa época era chamado o 'país do futuro'."
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão
Brasil é vítima de desinformação sobre meio ambiente, diz Bolsonaro
Rhaldney Santos entrevista o empreendedor digital Harry Thorpe, criador da plataforma Miauu
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco