Diario de Pernambuco
Diario de Pernambuco
Digital Digital Digital Digital
Digital Digital Digital Digital
Notícia de Viver

TV

Regina Duarte diz a amigos que deseja retornar à Globo

Publicado em: 06/08/2020 15:30

 (Foto: Globo/Reprodução)
Foto: Globo/Reprodução

A atriz Regina Duarte, que saiu da TV Globo para assumir o cargo de secretária especial da Cultura no governo de Jair Bolsonaro, estaria tentando retornar para a emissora. De acordo com o colunista Ricardo Feltrin, do Uol, a artista vem sinalizando para amigos atores e autores que gostaria de voltar a fazer novelas no canal. Segundo Feltrin, Regina chegou a dizer que aceitaria um papel no folhetim de uma autora em questão.

Em fevereiro, a emissora e a atriz encerraram uma relação contratual de mais de 50 anos. No governo federal, Regina acabou sendo atacada pelos "olavistas", funcionários que compõem a ala ideológica interessada em uma espécie de "guerra cultural". Em maio, Duarte chocou o país ao minimizar tortura durante ditadura militar. "Cara, desculpa, eu vou falar uma coisa assim: na humanidade, não para de morrer. Se você falar 'vida', do lado tem 'morte'. Por que as pessoas ficam 'oh, oh, oh!'? Por quê?!", disse, em entrevista para a CNN.

A estreia de Regina Duarte na Globo foi em 1969, na novela Véu de Noiva. Desde então, ela deu vida a papéis marcantes da teledramaturgia brasileira, como a artista plástica Simone em Selva de pedra (1972). Por conta de suas personagens, Regina Duarte ganhou o apelido de Namoradinha do Brasil e também viveu o ícone da emancipação feminina do fim dos anos 70, com a protagonista de Malu mulher (1979).

A atriz viveu as confusões da espalhafatosa Viúva Porcina com o fazendeiro Sinhozinho Malta (“Tô certo ou tô errado?!”), interpretado por Lima Duarte em Roque Santeiro (1985), um dos maiores sucessos de audiência de todos os tempos. Outra atuação marcante de Regina foi Rachel Acioly de Vale Tudo (1988). Ela conquistou também, por três vezes, o papel mais emblemático da obra de Manoel Carlos. Regina foi Helena em História de amor (1995), Por amor (1997) e Páginas da vida (2006). Em Chiquinha gonzaga, de 1999, interpretou, com a filha Gabriela Duarte, a grande musicista brasileira. Foram 31 novelas, oito casos especiais e centenas de episódios em séries e minisséries na Globo.
Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Ministério da Saúde autoriza volta parcial da torcida na Série A
Resumo da semana: acidente em Boa Viagem, aulas liberadas e reinauguração do Geraldão
Enem para todos com professor Fernandinho Beltrão #101 Actina e Miosina
Rhaldney Santos entrevista advogada Rafaella Simonetti do Valle
Galeria de Fotos
Grupo Diario de Pernambuco