INVESTIGAÇÃO

MPT-PE determina apuração de desabamento em construção de centro de convenções no Recife

Em nota, o MPT-PE destacou que "serão apurados os fatores que concorreram para o acidente, bem como as responsabilidades acerca do acidente"

Publicado em: 09/07/2024 17:42 | Atualizado em: 10/07/2024 05:28

Parte da estrutura do Recife Expo Center desabou, nesta terça (9), deixando feridos e estragos  (Foto: Rafael Vieira/DP )
Parte da estrutura do Recife Expo Center desabou, nesta terça (9), deixando feridos e estragos (Foto: Rafael Vieira/DP )
 
O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Pernambuco determinou a instauração de um procedimento para investigar o desabamento de parte da estrutura usada na obra do Recife Expo Center, no bairro de São José, Centro do Recife. A ocorrência, na manhã desta terça-feira (9), deixou feridos.

Em nota, o MPT-PE destacou que "serão apurados os fatores que concorreram para o acidente, bem como as responsabilidades acerca do acidente".

"O MPT promoverá as diligências necessárias para apurar as circunstâncias dos fatos noticiados, além de articular atuação preventiva", acrescentou a instituição.

Feridos 

 Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Construção Civil de Pernambuco (Marreta), seis operários estavam na estrutura quando houve o desabamento. 

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na Zona Sul da cidade, recebeu quatro trabalhadores, com idade entre 19 e 46 anos. Todos já tiveram alta médica. Os outros dois não precisaram de socorro.

Outro acidente

Pouco antes do desabamento, de acordo com o Marreta, um trabalhador de 63 anos caiu em um fosso na obra e foi levado para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife.

A assessoria de imprensa da unidade de saúde informou que o paciente não autorizou a divulgação de seu estado de saúde.

Fiscalização 

Segundo o Setor de Fiscalização de Segurança e Saúde no Trabalho da Superintendência Regional em Pernambuco, imediatamente após a ocorrência foram enviados ao local dois auditores fiscais do trabalho.
 
"Os dados apurados até o momento não permitem qualquer conclusão definitiva sobre as causas mas é comum que esse tipo de ocorrência (desabamento de estrutura) esteja associado aos seguintes fatores: falhas no projeto, colapso do material utilizado e/ou vícios na montagem. Além da estrutura que colapsou, todas as estruturas da obra devem ser auditadas para verificar a existência de falhas que possam levar a novos acidentes no local", diz trecho do documento assinado pelo auditor Edson Cantarelli Guerra.
 
O que diz o CREA-PE
 
Também procurada pela reportagem do Diario, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) emitiu um comunicado se posicionamento sobre o assunto. 
 
Em nota. a entidade disse que "O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) informa que a obra do centro de convenções no Cais de Santa Rita, onde ocorreu o desabamento do andaime na manhã desta terça-feira (09), vem sendo acompanhada pela Fiscalização do Conselho. Compete ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia a fiscalização do exercício profissional dos responsáveis pela execução do serviço", explicou. 
 
A entidade ainda pontuou que "Em relação à obra, a empresa e os profissionais responsáveis estão devidamente registrados no Crea-PE, onde constam os documentos de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Segundo a Gerência de Fiscalização, por conta do acidente, será dado início à análise do sinistro sobre outros aspectos para verificar questões éticas relacionadas, como negligência, imperícia e imprudência, além de possíveis atividades não contempladas na ART e que são necessárias à execução dos serviços", finalizou.  

Construtora
 
A Tecla Construtora, responsável pela obra, informou que "o incidente no Centro de Convenções do Recife, ocorrido no começo da tarde desta terça-feira, foi provocado por um andaime que cedeu durante o trabalho de concretagem de um detalhe na fachada, que não tem ligação com a estrutura do prédio."

A construtora também ressaltou que toda a obra está devidamente licenciada e que o desabamento não implicará em atraso em seu cronograma.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL