Metrô do Recife

Metroviários marcam assembleia para definir greve e cobram medidas do Governo Federal

Metroviários exigem retirada do Metrô do Recife do Programa Nacional de Desestatização (PND)

Publicado em: 09/07/2024 20:43 | Atualizado em: 09/07/2024 21:42

No encontro promovido nesta terça-feira, foram discutidas a não remoção da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) do Programa Nacional de Desestatização (PND) por parte do Governo Federal (Foto: Divulgação)
No encontro promovido nesta terça-feira, foram discutidas a não remoção da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) do Programa Nacional de Desestatização (PND) por parte do Governo Federal (Foto: Divulgação)
Os metroviários do Recife realizaram uma assembleia na noite desta terça-feira (9) para discutir sobre uma paralisação que pode durar até 48 horas a partir do dia 25 de julho. Um novo encontro será realizado nesta data para definir se haverá greve, a depender das negociações com o Governo Federal e a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). 

No encontro promovido nesta terça-feira, foram discutidas a não remoção da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) do Programa Nacional de Desestatização (PND) por parte do Governo Federal. Os metroviários também citaram o envio de recursos insuficientes para recuperação do sistema. 

"Do dia 9 ao dia 25 tem muita coisa para acontecer. Se neste período nada caminhar, vamos estar mobilizados no dia 25 de julho, colocando onde está o erro para a população e o trabalho que a categoria vem fazendo para avançar. Se nada mudar, que a gente inicia uma paralisação, de 24h, 48h ou até mesmo por tempo indeterminado", defendeu Luiz Soares, presidente do SindMetro-PE.
 
Na última semana, o Governo Federal divulgou que irá investir R$ 136 milhões no Metrô do Recife. O anúncio foi feito após a CBTU apresentar ao Ministério das Cidades um plano para resolver os problemas estruturais do transporte ferroviário, que necessitaria de um investimento de R$ 1,7 bilhão.

As principais reivindicações dos metroviários incluem o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2024/2025 pela CBTU e a assinatura do Acordo Coletivo Especial (ACE) que garante os empregos dos trabalhadores, caso seja concedida à iniciativa privada. Além disso, os metroviários pedem a retirada do sistema metroviário do PND.

Segundo o presidente do SindMetro, com as condições precárias que o Metrô do Recife se encontra, um acidente grave pode ocorrer a qualquer momento e a culpa estará nas mãos do governo federal.

"O que nós metroviários estamos sempre alertando e a população precisa entender é que se trata de uma tragédia anunciada, devido ao sucateamento do Metrô. Toda semana para, as Linhas Centro e Sul deixam de funcionar. Caso aconteça, nós seremos os primeiros apontados como culpados, mas os verdadeiros responsáveis são o Governo Federal, o presidente Lula, o ministro Rui Costa, que não retira a CBTU do PND e não libera os recursos que precisa para recuperar o sistema”.

O presidente do Sindmetro-PE, também ressaltou a insatisfação dos trabalhadores com a falta de progresso nas negociações e a importância da greve para pressionar por melhorias. 

"Essa categoria têm responsabilidade com o usuário e com o sistema, além de plenas condições para resolver o sucateamento se os recursos necessários forem enviados. Aqui já transportamos quase 450 mil usuários. Hoje estamos transportando 180 mil, e isso está acontecendo porque o governo não quer investir na qualidade do transporte público para a população. Existe diálogo, com o governo federal, que até agora não resolveu nada, nem tão pouco os investimentos anunciados são suficientes para reverter o sucateamento", disse.

Além das pautas do ACE, ACT e PND, a categoria se mantém compromissada com uma tarifa social de R$ 2,00 para beneficiar a população e colocar a mão, ainda mais na massa, para que o sistema volte a funcionar com excelência e garantindo o ir e vir da população que tanto necessita do sistema, hoje precarizado.
 
 

Tags: greve | metrô | cbtu |
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL