Ciclo junino

"São Joãzinho": Doutores da Alegria levam música e diversão a hospitais

Entre 17 e 20 de junho, cinco unidades vão receber cortejos juninos de palhaços e a apresentação da peça "Presepada de São João"

Publicado em: 14/06/2024 08:48 | Atualizado em: 14/06/2024 14:09

Palhaços vão fazer arraial em hospitais  (Foto: Divulgação)
Palhaços vão fazer arraial em hospitais (Foto: Divulgação)
Vai começar o "São Joãozinho" dos Doutores da Alegria. A ação dos palhaços que levam música e diversão para crianças internadas em hospitais do Grande Recife já tem o cronograma definido para os festejos juninos em 2024. 
 
A brincadeira começa na segunda-feira (17), no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), nos Coelhos. No dia 18, será a vez do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC/UPE) e do Procape, em Santo Amaro.
 
No dia 19, os palhaços vão ao Hospital da Restauração, no Derby; e, no dia 20, o forró chega ao Hospital Barão de Lucena, na Iputinga. s cortejos juninos têm início às 10h, exceto na terça-feira, quando  o arraial começará às 9h30, no HUOC/UPE e segue, às 11h, para o Procape.
 
“Para as crianças e suas famílias, que não poderão passar as festividades fora do hospital, acompanhar o São Joãozinho é resgatar a memória afetiva da quadrilha na escola, da celebração na rua de casa. Os profissionais de saúde entram na festa conosco. Chegamos aos hospitais e muitos deles estão caracterizados e ainda enfeitam as crianças!”, explica Arilson Lopes, coordenador artístico no Recife dos Doutores da Alegria.
 
Como vai ser 
 
Em cada um dos cinco hospitais atendidos pelos palhaços o ano inteiro, o São Joãozinho começa com um cortejo junino nas alas pediátricas, com forró ao vivo, tocado e cantado pelos "besteirologistas", com a ajuda de um convidado especial: o forrozeiro Damião Mota, o “São Foneiro”. 
 
Em seguida, os palhaços apresentam Presepada de São João, espetáculo baseado no livreto de cordel “A peleja do noivo que tentou enganar a noiva na festa de São João ou vice e versa”. Escrito por Arilson Lopes, que também assina a direção da peça, o folheto conta a história de um casamento matuto, mas com todas as trapalhadas que só os palhaços poderiam aprontar!
 
Dr. Marmelo (Marcelo Oliveira) é o noivo, que foge da noiva, Dra. Baju (Juliana de Almeida) por medo do pai dela, um cabra valente chamado Dr. Mircolino Lampião (Marcelino Dias). As fuxiqueiras acompanham e, claro, se intrometem em toda a história: Dra. Muskyta (Olga Ferrario), Dra. Nana (Ana Flávia) e Dra. MonaLisa (Greyce Braga). Como em toda festa de São João, tem ainda o balão subindo, Dr. Wago Ninguém. 
 
A trama combina não só os tradicionais personagens do casamento junino, como traz à cena os três santos celebrados nas festividades – São João (Dr. Eu_Zébio/Fábio Caio), Santo Antônio (Dr. Gonda/Tiago Gondim) e São Pedro (Dr. Dud Grud/Eduardo Filho), além do São Foneiro (Damião Mota). 
 
A assistência de direção é de Marcelino Dias e a produção de Nice Vasconcelos. Embora os hospitais não paguem nada para receber o trabalho dos Doutores da Alegria, os palhaços não são voluntários – são todos artistas profissionais, que passam por treinamentos e atualizações constantes, e atuam o ano inteiro nas unidades de saúde. 

Conheça o grupo 
 
Doutores da Alegria é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que introduziu a arte do palhaço no universo da saúde, intervindo junto a crianças, adolescentes e outros públicos em situação de vulnerabilidade e risco social em hospitais públicos.
 
Fundada em 1991 por Wellington Nogueira, transita pelos campos da saúde, da cultura e da assistência social e reforça a cultura como um direito de todos. 
 
Desenvolve o Programa de Palhaços em 14 hospitais de São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. No Rio de Janeiro, com o projeto Plateias Hospitalares, mantém uma programação artística permanente e diversa em sete hospitais. A Escola Doutores da Alegria traz formações diversas para o público em geral, para jovens em situação de vulnerabilidade social e para artistas e, entre suas iniciativas, se destaca o Programa de Formação de Palhaço para Jovens, em São Paulo, e o Curso Livre de Palhaçarias para Jovens, no Recife.

Como ajudar
 
O trabalho da associação Doutores da Alegria, gratuito para os hospitais, é mantido por doações de empresas e de pessoas físicas, tanto por recursos próprios quanto por recursos advindos por meio das leis de incentivo fiscal.
 
Os recursos das contribuições permitem a continuidade e a expansão das atividades e da estrutura do grupo, a realização de atividades de formação, oficinas e o aprimoramento técnico dos artistas. Para contribuir com a manutenção do trabalho, basta acessar o site www.doar.doutoresdaalegria.org.br/ajude .
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL