PROTESTO

Protesto feito por moradores que reclamam de construção de habitacional em campo de futebol prejudica trânsito na área Central do Recife

Os manifestantes, por volta das 18h, atearam fogo em entulhos e interditaram o cruzamento das Avenidas Norte e Cruz Cabugá, em Santo Amaro

Publicado em: 20/06/2024 19:43 | Atualizado em: 20/06/2024 21:45

 (Foto: Reprodução/Redes Sociais )
Foto: Reprodução/Redes Sociais
 
Um protesto realizado por moradores de uma comunidade no bairro de Santo Amaro, na área Central do Recife, prejudicou o trânsito nas avenidas Cruz Cabugá e Norte, nesta quinta-feira (20).  A manifestação foi feita por populares que residem próximos ao Campo do Barro, e reclamam da construção de um habitacional no campo de futebol do bairro, sob responsabilidade da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab). A afirmação foi feita por uma liderança comunitária que não quis se identificar.  O Governo do Estado afirmou que a obra não é de responsabilidade da gestão.  

Os manifestantes, por volta das 18h, atearam fogo em entulhos e interditaram o cruzamento das Avenidas Norte e Cruz Cabugá. O ato foi acompanhado por policiais militares do 16ºBPM e por batedores de trânsito da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), que realizaram o ordenamento do tráfego de veículos na região. O protesto foi encerrado por volta das 18h30, quando os manifestantes após uma negociação com a PM aceitaram encerrar a manifestação.  Após isso, o trânsito no local foi liberado.
 
Bombeiros realizaram o trabalho de retirada de entulhos da pista  (Foto: Sandy James/DP )
Bombeiros realizaram o trabalho de retirada de entulhos da pista (Foto: Sandy James/DP )

Com isso, o tráfego de veículos ficou prejudicado nos quatro sentidos, já que o cruzamento dá acesso no sentido Recife-Olinda, nas duas mãos, e também interliga os bairros do Recife e Santo Amaro, também nos dois sentidos. Uma viatura anti chamas do Corpo de Bombeiros (CBMPE) foi acionada para apagar o fogo na pista e retirar os entulhos da via. 
 
Uma viatura do Corpo de Bombeiros foi acionada para atuar no combate das chamas na pista  (Foto: Sandy James/DP )
Uma viatura do Corpo de Bombeiros foi acionada para atuar no combate das chamas na pista (Foto: Sandy James/DP )


Procurada pela reportagem do Diario de Pernambuco, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Seduh), que por meio de nota se posicionou sobre o caso. 

Leia a nota na íntegra:

“A Seduh informa que o governo de Pernambuco cedeu o terreno para construção de habitacional de interesse social, atendendo pedido da  entidade que representa a comunidade na luta por moradia. O Estado não é responsável pela construção do habitacional.
A área foi objeto de chamamento público. A AAST,  entidade que representa o movimento, apresentou proposta e o seu projeto, para construção de 96 unidades, foi aprovado pelo Ministério das Cidades. A área em questão é uma das quais o Estado destinou para uso de habitação popular dentro do Minha Casa Minha Vida FDS - Entidades, do governo federal. Como a proposta da AAST foi aprovada, é essa a entidade responsável pela construção do habitacional”, esclareceu a pasta.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL