PROFESSORES

Docentes da UFRPE realizam Assembleia nesta quarta e quinta para definir os rumos da greve

Na ocasião serão analisadas os rumos da greve dependendo da resposta do governo federal à pauta de reivindicações da categoria

Publicado em: 19/06/2024 11:21

O Comando Local de Greve (CLG) da Aduferpe convocou para essa quarta (19), às 14h30, mais uma assembleia docente da UFRPE, a ser realizada no Salão do Sindicato (Foto: Arquivo/DP)
O Comando Local de Greve (CLG) da Aduferpe convocou para essa quarta (19), às 14h30, mais uma assembleia docente da UFRPE, a ser realizada no Salão do Sindicato (Foto: Arquivo/DP)
O Comando Local de Greve (CLG) da Aduferpe convocou para essa quarta (19), às 14h30, mais uma assembleia docente da UFRPE, a ser realizada no Salão do Sindicato.

Na ocasião, os professores deverão analisar a conjuntura e os rumos da greve a partir da resposta do governo federal à pauta de reivindicações da categoria. 

Na quinta (20) também ocorrerá assembleia na Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST/UFRPE). 

Os retornos das assembleias serão sistematizados pelo Comando Nacional de Greve (CNG), entre 21 e 23 de junho.

Na última sexta-feira (14), o CNG participou de mais uma rodada de negociação com o governo federal. 

Com a força do movimento paredista, a negociação resultou em avanços na pauta não remuneratória, mas com implicações financeiras, como, por exemplo, a posição de reconhecer o direito ao RSC (Reconhecimento dos Saberes e Competências) de  aposentados/as do regime EBTT - Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. 

Também foi conquista do movimento a recomposição parcial do orçamento das instituições federais, a conquista de 5.600 bolsas de permanência para estudantes quilombolas e indígenas, a implementação de reajuste de benefícios ( auxílio-alimentação, auxílio-saúde suplementar e auxílio-creche) embora ainda sem equiparação com os benefícios, início da mesa setorial permanente de negociação do MEC, elevação do reajuste linear oferecido até 2026 de 9,2% para 12,8%, sendo 9% em janeiro de 2025 e 3,5% em maio de 2026, entre outras propostas.

Outra conquista do movimento grevista foi o compromisso do governo com a revogação da Portaria 983/2020, que estabelece diretrizes para a regulamentação das atividades docentes, no âmbito da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. 

Também ficou negociada a revisão da Instrução Normativa n%u2070 66/2022, que consolida as orientações expedidas pelo Órgão Central do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto à concessão de progressão funcional e promoção aos servidores a partir de vários decretos.

Após a reunião com o governo, o CNG fez o debate das propostas e encaminhou orientações às seções sindicais, que estão convocando mais uma rodada de assembleias até 21 de junho para avaliação e decisão dos rumos da greve.

MAIS NOTÍCIAS DO CANAL