Diario de Pernambuco
Busca

ROUBOS E FURTOS

Governo do Estado apresenta redução de roubos e furtos no mês de abril

Segundo a pasta, no mês passado houve uma redução de 14% no quantitativo de ocorrências em comparação com o mesmo período de 2023.

Publicado em: 21/05/2024 20:20 | Atualizado em: 21/05/2024 21:14

Nesta terça (21), a SDS apresentou números sobre a redução de crimes de roubos e furtos no mês de abril (Foto: Priscilla Melo/DP )
Nesta terça (21), a SDS apresentou números sobre a redução de crimes de roubos e furtos no mês de abril (Foto: Priscilla Melo/DP )
 
A Secretaria de Defesa Social (SDS), detalhou, nesta terça-feira (21), os números de Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP), que são roubos e furtos, do mês de abril deste ano no Estado, durante reunião da Força-Tarefa das forças de segurança do Estado, na sede do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), no bairro de São José, na área Central do Recife. Segundo a pasta, no mês passado houve uma redução de 14% no quantitativo de ocorrências em comparação com o mesmo período de 2023. De acordo com os dados oficiais da SDS, abril deste ano contabilizou 3.834 casos contra 4.478 do mesmo período do ano passado: 644 casos a menos.
 
Já no primeiro quadrimestre deste ano, segundo as estatísticas da pasta divulgadas em seu site oficial, Pernambuco contabilizou um total de 15.347 casos de CVPs, o que equivale a uma média diária de 126 ocorrências, caso for comparado o número total de casos compreendidos nos 121 dias deste período. 

Reduções

Segundo a SDS, em abril, todas as regiões do Estado apresentaram reduções no números de casos de roubos e furtos. 

A pasta informou que a maior redução ocorreu na Zona da Mata, com um percentual de 26,3%, em que foram registrados 327 ocorrências, em 2023, enquanto em 2024, foram 241 casos.

Já a capital pernambucana foi a segunda com maior redução, caindo de 1.867  em abril do ano passado, para 1.553 em abril deste ano. 

Segundo a SDS, a Região Metropolitana do Recife (RMR) apresentou uma queda de 11,6% em abril deste ano, com 160 casos a menos do que em 2023, em que foram contabilizadas 1.217 ocorrências. 

“Os municípios que compõem o Agreste pernambucano fecharam o último mês com 642 casos, ou seja, redução de 10% com 71 ocorrências a menos que o contabilizado no mesmo período em 2023 (713). Por fim, o Sertão pernambucano fechou o quarto mês do ano com uma redução de 6,7%, caindo de 194 (2023) para 181 (2024)”, disse a SDS por meio de nota. 

A pasta ainda destacou que nos 12 meses de 2023, a Polícia Civil bateu recorde de prisões de suspeitos de cometerem roubos e furtos no Estado, com 455 dentições, o que equivale a um acréscimo de 28% em comparação com o mesmo período de 2022. 

Análise 

A secretária-executiva da SDS, Dominique de Castro, falou sobre os resultados das reduções dos números de casos de CVPs no Estado. Além disso, a gestora também destacou que as forças de segurança monitoram e investigam os recentes casos de violência dentro do sistema de transporte público de passageiros. 

“Em níveis gerais temos uma redução de 14% nos crimes de patrimônio, em que a queda aparece em cada uma dessas linhas. Em 2023, tivemos o nosso melhor ano na repressão de crimes violentos ao patrimônio no Estado. A redução é consistente nessa frente de trabalho e, eventualmente, alguma região que nos chame uma maior atenção, como por exemplo, a Região Metropolitana do Recife no que se refere a coletivos (sistema de transporte público de passageiros), a gente traz aqui para apreciar e reajustar o planejamento. Essa questão é muito cara para a SDS, a gente monitora todos esses assuntos semanalmente com o Consórcio Grande Recife. A gente recebe todas as ocorrências, identifica em que local inicia essas ocorrências, e direciona tanto o policiamento ostensivo, quanto as nossas investigações. Todos os casos estão sendo investigados em níveis avançados pela Polícia Civil, como tem sido uma resposta de identificação dos autores e pedido de prisão desses suspeitos”, destacou a secretária-executiva da SDS, Dominique de Castro. 
A secretária-executiva da SDS, Dominique de Castro, falou sobre as ações que a pasta está tomando para reduzir os homicídios no Estado  (Foto: Priscilla Melo/DP )
A secretária-executiva da SDS, Dominique de Castro, falou sobre as ações que a pasta está tomando para reduzir os homicídios no Estado (Foto: Priscilla Melo/DP )

Segundo números oficiais divulgados pela SDS, em abril deste ano, foram registrados 46 casos de roubos a ônibus. 

Isso equivale a uma média de mais de um assalto por dia. Dessas ocorrências, 24 aconteceram na Região Metropolitana do Recife (RMR), enquanto 22 foram registradas especificamente no Recife. No interior do estado não houve ocorrências nesse mês de referência.


Homicídios

A secretária-executiva da SDS também foi questionada sobre o aumento de 1,8% no número de casos de Mortes Violentas Intencionais (MVIs) em abril deste ano (323 assassinatos) se comparado com o mesmo período de 2023, quando foram contabilizadas 317 ocorrências. 

“O monitoramento do MVI (assassinatos) ainda é mais próximo do que os  de CVP (roubos e furtos). Toda semana a gente reúne nas reuniões de monitoramento dos Juntos Pela Segurança, analisando cada área integrada de segurança, sendo 26 no total, para compreender onde estão as ‘zonas quentes’ (regiões que registram mais casos) e direcionar o policiamento ostensivo, onde estão os nossos nortes das investigações, em que as vezes a gente demanda uma maior atenção da perícia, demanda também uma maior proximidade com o Ministério Público e o Judiciário, e a partir daí, a gente reprograma, semanalmente, a nossa atuação”, ressaltou a gestora. 

A secretária ainda destacou que há tendência de queda nos casos de homicídios no Estado. 

“O que a gente percebe é uma tendência de queda no MVI também. Eu gosto de pontuar que a gente vem de alguns anos de desinvestimento na segurança pública no Estado. Talvez a gente perceba esse desinvestimento de uma forma mais contundente no MVI. A gente tem hoje, na Polícia Civil, 50 unidades especializadas a mais do que tínhamos em 2013. E temos menos policiais civis do que tínhamos em 2013. A investigação do homicídio é feita pela Polícia Civil, menos policiais com mais atribuições realmente o cenário não é mais favorável. Como é que a gente tá lidando com isso? Aquisição de equipamentos de inteligência, onde muito recentemente a governadora do Estado autorizou a aquisição de equipamentos de inteligência que vão otimizar e facilitar a obtenção de dados de telefones celulares apreendidos. Hoje uma extração de dados de celular pode levar até dois anos, então estamos adquirindo equipamentos de inteligência. Outra frente de trabalho é aquisição de viaturas, armamento, colete, porque o policial trabalha mais motivado. Além disso, o concurso público de todas as operativas. Agora, muitas dessas iniciativas não dão um efeito imediato. Um concurso público leva mais de um ano para terminar, entre um período de inscrição e quando a gente pode contar mesmo com esse policial. Então são vários investimentos de construção e requalificação que estão sendo tomadas para a gente reverter esse quadro que foi herdado e que a gente vai reverter”, destacou a gestora. 


MAIS NOTÍCIAS DO CANAL