Diario de Pernambuco
Busca

Tragédia na Páscoa

Dor, emoção e revolta marcam velório de duas das cinco vítimas fatais da "Tragédia da Páscoa", em Jaboatão

A missa foi celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Paulo Jackson

Publicado em: 01/04/2024 16:38 | Atualizado em: 01/04/2024 20:40

A missa de corpo presente de Edson e Amauri está sendo celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Paulo Jackson (Foto: Priscilla Melo/DP)
A missa de corpo presente de Edson e Amauri está sendo celebrada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Paulo Jackson (Foto: Priscilla Melo/DP)
 
Os corpos de Edson Maurício Barbosa, 52 anos e Amauri João de Lima, de 68 anos, foram velados na tarde desta segunda (1). Eles são duas das cinco vítimas fatais do atropelamento de fiéis que participavam de uma celebração do Domingo de Páscoa, em Jabotão dos Guararapes, no Grande Recife. 

O velório aconteceu na quadra da Escola Adelaide Pessoa Câmara, que fica ao lado do local onde o micro-ônibus atropelou fiéis durante uma procissão, resultando em cinco mortes confirmadas e cerca de 20 feridas no Conjunto Marcos Freire.

Além deles, três mulheres acabaram morrendo em decorrência dos ferimentos causados pela colisão do veículo que desceu desgovernado a Ladeira do Adelaide. Cerca de 30 pessoas ficaram feridas.
 
São elas: Edite Maria da Silva, 51 anos; Teresa Cristina Batista Silveira, 66 anos e Jéssica Kelly Mendonça dos Santos, 22 anos. Os corpos delas serão velados e sepultados nesta terça (2). 
 
A missa de corpo presente de Edson e Amauri está sendo celebrada pelo arcebispo Metropolitano, Dom Paulo Jackson. 
 
“Quanto ao fato em si, nós deixamos para que as autoridades façam as análises, as pesquisas, as investigações e os discernimentos. O significado deste fato para nós, para a igreja, para esta comunidade paroquial, sobretudo para os familiares, que são os que mais sofrem na verdade, é que eram pessoas muito caras, muito boas, muito dedicadas na comunidade. Catequistas e tantos outros que tinham um papel importante no seio da comunidade ecelsial. Então é algo muito doloroso a perda destes irmãos. Por outro lado, o próprio fato disso ter acontecido no Domingo de Páscoa, dá uma chave de compreensão para a gente compreender a partir de uma outra perspectiva. Compreender a luz da fé, compreender a luz da esperança cristã. Nós não fomos feitos para um buraco no cemitério, fomos feitos para o abraço com o Deus da vida. Nesse encontro amoroso e festivo com o Deus da vida. Essa é a nossa esperança e a nossa fé”, registrou o arcebispo.
O arcebispo Metropolitano, Dom Paulo Jackson celebrou a missa de corpo presente de duas das cinco vítimas da tragédia, em Marcos Freire, em Jaboatão dos Guararapes  (Foto: Priscilla Melo/DP )
O arcebispo Metropolitano, Dom Paulo Jackson celebrou a missa de corpo presente de duas das cinco vítimas da tragédia, em Marcos Freire, em Jaboatão dos Guararapes (Foto: Priscilla Melo/DP )

A cerimônia fúnebre reuniu centenas de pessoas que vieram prestar o último adeus e pedir Justiça pela morte dos devotos.
 
“É injusto e foi uma fatalidade que poderia ter sido evitada. Eu espero que ele [o motorista] não fique impune, porque ele sabia o risco, sabia que o ônibus estava sem freio e não fez nada para não atingir as pessoas. Infelizmente, ele não pensou em tirar esse ônibus para outro lado ou buzinar para dar uma alerta, isso aí, nada, ele fez. Eu conversei com ele [o irmão] no sábado e recebi a notícia ontem. Eu estava no meu trabalho e recebi a notícia pelo meu sobrinho. Até então eu não sabia que ele tinha falecido É desesperador perder um irmão muito querido”, lamentou a orientadora socioeducativa Edila Barbosa, de 51 anos, que veio de São Paulo para o velório do irmão Edson.
 
“É uma situação difícil. A gente recebeu a notícia através de amigos e também pela rede social e a situação é triste. Perdeu um ente querido em um desastre deste e pela causa em si, um ônibus desgovernado. A gente até então não sabe a culpa real dessa situação, se é humana, se foi pelo motorista, se é mecânica. No momento a gente só tem que dar apoio à família, dar o amparo necessário e deixar na mão de Deus para ele cuidar desses corações feridos e desta situação. A gente que convive nesta área de Marco Freire e em outras áreas que o transporte municipal é utilizado se depara com algumas situações assim. Ônibus que não estão mecanicamente, fisicamente estruturados e ficam a desejar para os passageiros, também tem a questão de fiscalização referente ao trabalho do motorista. Pode-se dizer que sim, talvez seja uma tragédia anunciada, mas a gente fica na expectativa que se resolva isso dentro da justiça”, Hugo Costa, de 45 anos, marido da sobrinha de Amauri.
 
Além de Edson e Amauri, outras três pessoas morreram e outras 16 ficaram feridas após serem atingidas por um micro-ônibus durante a procissão no bairro de Marcos Freire, em Jaboatão dos Gurararapes.  
 
O acidente foi causado após o veículo perde ro controle. O  Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informou que mobilizou dez ambulâncias dos municípios do Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Moreno para a ocorrência. Os bombeiros também atuaram no atendimento.
 
O motorista permissionário envolvido no atropelamento já prestou depoimento à polícia. Segundo a Polícia Civil, como ele se apresentou espontaneamente, irá responder em liberdade.
 
 
 

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL