Diario de Pernambuco
Busca

Saúde

Saiba onde mais foram registrados casos prováveis de dengue no Grande Recife

Secretaria Estadual de Saúde promoveu capacitação para atualização no manejo clínico e classificação de risco das arboviroses

Publicado em: 05/03/2024 08:30 | Atualizado em: 05/03/2024 10:31

Transmitida pelo Aedes aegypti, dengue está em alta em Pernambuco  (Foto: Arquivo)
Transmitida pelo Aedes aegypti, dengue está em alta em Pernambuco (Foto: Arquivo)
Pernambuco registrou 2.599 possíveis casos de dengue, segundo Boletim Epidemiológico das Arboviroses que vai até a Semana Epidemiológica 8, que corresponde ao início de março deste ano. 
 
Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), "há uma elevação do número de casos em Pernambuco, nas últimas semanas".
 
No estado, foram registradas, até agora, seis mortes ligadas a todas as arboviroses incluindo dengue, zika e chikungunya. 
 
Ainda segundo o boletim, o Recife registrou, até o início de março de 2024, 396 casos prováveis de dengue. 
 
A taxa de incidência, calculada na relação ente o número de casos e a população de 100 mil habitantes, é de 26.6%.
 
No mesmo período do ano passado, tinham sido notificados, na cidade, 164 casos prováveis.
 
Jaboatão aparece em segundo lugar, com 283 casos prováveis, este ano, e uma taxa de incidência de 43,9%.

No ano passado, a cidade notificou, no mesmo período, 100 casos prováveis. 
 
Em Paulista, este ano, foram notificados 71 casos prováveis e uma taxa de incidência de 20,8%. 
 
No ano passado, tinham sido registrados, no msmo período, 105 casos prováveis. 
 
No Estado, quase 14% das residências vistoriadas, este ano,  tinham alto risco de concentração de focos de mosquito. 

Capacitação
 
Diante do quadro, a Secretaria de Saúde promoveu, na segunda (4), uma capacitação para atualização no manejo clínico e classificação de risco das arboviroses.
 
São as doenças provocadas pelo mosquito Aedes Aegypti. Além da dnegue, o inseto provoca zika e chikungunya. 
 
De acordo com a secretaria,  o eventoé importante  para a melhororar o atendimento e na redução do impacto das doenças, nesse momento. 
 
O diretor geral de Vigilância Ambiental e Saúde do Trabalhador, Eduardo Bezerra, iniciou a rodada de palestras apresentando o atual cenário epidemiológico das arboviroses no Estado. 
 
O treinamento apresentou cuidados e atualização no "Manejo clínico de pacientes com suspeita de arboviroses", ministrado pelo médico infectologista Raphael dos Anjos. Na mesma temática, a pediatra e infectologista Regina Coeli explicou aos profissionais presentes como devem ser realizados os cuidados voltados às crianças com suspeita das doenças causadas pelo mosquito.

O infectologista ressaltou a importância do manejo clínico, diante do cenário atual no estado.
 
“A gente está vendo um aumento de possíveis casos da dengue, o que gera a necessidade de progressão no atendimento e melhoria na análise do paciente, gerando um impacto positivo no curso da doença, prevendo formas graves, além da sobrevida do paciente”, declarou Raphael dos Anjos.

A atualização ajuda nessa criação de um ambiente que oferte o atendimento de maior efetividade na identificação dos sinais de dengue na população.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL