Diario de Pernambuco
Busca

Meio ambiente

Mancha nas praias de Candeias e Barra de Jangada chama atenção; entenda causa

A mancha possui coloração amarronzada e é visível de longe

Publicado em: 04/03/2024 18:05

A coloração remete à maré vermelha, que atinge o litoral pernambucano desde janeiro. (Foto: Cortesia)
A coloração remete à maré vermelha, que atinge o litoral pernambucano desde janeiro. (Foto: Cortesia)

Frequentadores e pessoas que moram próximo às praias de Candeias e Barra de Jangada, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, observaram uma mancha de tom amarronzado no mar, na tarde desta segunda-feira (4). 

Em um registro feito por uma moradora, é possível ver que há uma grande quantidade de algas na faixa de areia. De acordo com a secretaria de Meio Ambiente de Jaboatão, a coloração é causada por uma de uma “Frente de Densidade”, que acontece quando águas de diferentes locais se encontram. Neste caso, há o encontro da água do mar com a do rio.

Este fenômeno é comum durante os meses mais quentes do verão e pelo fato das águas possuírem densidades diferentes, a mistura entre elas não é tão intensa. A força dos ventos também interfere nesta ação pois se o vento estiver fraco, há menos chance das águas se misturarem.

A principal característica de uma “Frente” é a densidade entre as águas que a definem os dois lados, por isso é possível ver a diferença na cor durante o encontro do rio com o mar. A “Frente” costuma ser marcada por uma linha de espuma ou material flutuante. 

Ou seja, a convergência resulta da ação do vento mas é também o resultado dos contrastes de densidade através da frente.

A coloração remete à maré vermelha, que atinge o litoral pernambucano desde janeiro.

Maré vermelha em Pernambuco

A maré vermelha foi confirmada na praia de Boa Viagem no dia 20 de fevereiro após uma análise feita pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). 

Na época, as manchas foram identificadas na altura do Edifício Equinócio, na Avenida Boa Viagem, ao lado da Vila da Aeronáutica. Segundo o CPRH, elas se deslocam por conta do movimento das correntes marítimas. 

"Os resultados confirmaram que a mancha é uma floração de dinoflagelados, um grupo diversificado e com espécies potencialmente produtoras de toxinas", informou a agência por meio de nota.

A maré vermelha também foi identificada, no dia 6 de fevereiro, nas praias de Candeias e Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. O fenômeno natural foi visto pela primeira vez neste ano na Praia de Tamandaré, em Ipojuca, onde 300 banhistas chegaram a relatar sintomas como dor de cabeça, náuseas e vômito.

O que é a maré vermelha

A maré vermelha ocorre quando há um aumento excessivo de algas que liberam ou não toxinas no mar. Este fenômeno é percebido através da superfície da água pelo odor e formação de manchas avermelhadas, alaranjadas, amareladas ou acastanhadas.

Este fenômeno costuma ocorrer quando há elevação da temperatura, salinidade, excesso de nutrientes, entre outros fatores, como a liberação de esgoto doméstico nas praias.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL