Diario de Pernambuco
Busca

Revolução Pernambucana

Data Magna: ''Temos o dever e a missão de promover mais ações e políticas públicas que possam ser entregues ao nosso povo'', diz governadora

Raquel Lyra e autoridades civis e militares participaram, nesta quarta (6), de solenidade que lembrou a Revolução Pernambucana de 1817

Publicado em: 06/03/2024 10:22 | Atualizado em: 06/03/2024 11:49

Autoridades celebraram a Data Magna, no Recife  (Foto: Ruan Pablo/DP)
Autoridades celebraram a Data Magna, no Recife (Foto: Ruan Pablo/DP)
Em solenidade na manhã desta quarta-feira (6), no Palácio do Campo das Princesas, no Centro do Recife, para celebrar a Data Magna de Pernambuco, a governadora Raquel Lyra (PSDB) e a Vice-governadora Priscila Krause (Cidadania), receberam várias autoridades para as comemorações em memória da Revolução Pernambucana em 1817.
 
No evento, a governadora falou sobre a importância histórica da Revolução Pernambucana para os dias de hoje. 

"A Revolução de 1817 precedeu a nossa liberdade, a nossa independência. Aqui no nosso Estado, temos o dever e a missão, junto com o Priscila, com o nosso time de governo, de promover cada vez mais ações e políticas públicas que possam entregar ao nosso povo aqueles que lá atrás lutaram por isso, deram sua vida, que é garantir mais justiça social, mais igualdade, mais política pública, chegando na vida de quem mais precisa", disse. 

A cerimônia  contou com a apresentação da Banda da Polícia Militar de Pernambuco.
 
Governadora participou de solenidade, nesta quarta (6), no Recife  (Foto: Ruan Pablo/DP)
Governadora participou de solenidade, nesta quarta (6), no Recife (Foto: Ruan Pablo/DP)
Na chegada ao palácio, Raquel Lyra realizou a revista das tropas acompanhada ao som da Banda da PMPE.
 
Também foi realizado o desfile dos destacamentos da PMPE, CBMPE e das principais lojas maçônicas do estado.
 
A governadora Raquel Lyra, juntamente com a vice Priscila e o Comandante do Comando Militar do Nordeste (CMNE), General de Exército Maurílio Ribeiro, fizeram o hasteamento da bandeira do Brasil, de Pernambuco e da Insígnia do Governo, respectivamente.

O ponto alto da cerimônia foi quando a Governadora, acompanhada de sua vice e das autoridades, levaram uma corbélia de flores ao monumento que homenageia todos os herois que participaram da Revolução de Pernambuco em 1817.

Finalizando o evento a governadora falou sobre a data e disse que, “Pernambuco demonstra que a gente faz uma reflexão sobre o papel histórico do Estado na luta pela democracia do Brasil e o quanto a gente ainda precisa avançar por mais liberdade, por mais democracia, por mais justiça social”, finalizou a governadora.

História 


A Revolução Pernambucana foi celebrada nesta quarta-feira (6). Essa data se tornou feriado desde o dia 8 de junho de 2017. 
 
O feriado foi instituído em memória ao movimento inspirado por ideais iluministas de liberdade, igualdade e justiça, que tornou o estado de Pernambuco uma nação independente por 75 dias, no ano de 1817. 

Desde  a  chegada  da  família  Real  Portuguesa  ao  Brasil,  em  1808,  as  tributações  sobre  as  capitanias  aumentaram  para  manter  os  luxos da monarquia. 

Pernambuco era o principal produtor de açúcar e algodão do país, mas suas  riquezas  eram  todas  convertidas  em  impostos  para  manutenção da Corte no Rio de Janeiro sem o retorno para a capitania em investimentos de melhorias. 

Existia também um crescente descontentamento com o absolutismo da monarquia portuguesa. Para aumentar o clima de tensão vivido à época, no ano da Revolução,1817, tiveram vários problemas na produção de alimentos, devido a uma grande seca, que gerou aumento nos preços dos alimentos e a uma crise de abastecimento de produtos. 

Para  George  Cabral,  professor  do  Departamento  de  História  da  Universidade  Federal  de  Pernambuco  e  membro  efetivo  do  Instituto  Arqueológico,  Histórico  e  Geográfico Pernambucano e da Academia Pernambucana de Letras, esses foram os 
fatores necessários para o início da Revolução.
 
“São 75 dias em que Pernambuco e essas províncias vizinhas foram um país independente. Com bandeira, com uma lei orgânica que procurava organizar esse novo estado soberano, com um representante diplomático nos Estados Unidos, com medidas que visavam baratear a comida, diminuir o problema da defasagem dos salários e dos soldos e diminuir a carga tributária. Isso provocou uma adesão popular ao movimento, que não foi muito sólida, mas que permitiu uma vitória rápida. No mesmo dia, eles conseguiram depor o governador português e enviá-lo para o Rio de Janeiro”, explica o historiador.

Comércio e shoppings centers

Assim como todos os feriados, há uma modificação no horário de funcionamento dos shoppings da Região Metropolitana do Recife (RMR) e também do comércio. 

Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL Recife) e também do Sindilojas, Fred Leal, cada lojista decidirá se abrirá ou não o estabelecimento e como será o funcionamento no dia. Já shopping centers da Região Metropolitana do Recife abrirão com horário especial.

Confira abaixo:

Recife

Shopping Recife - das 12h às 21h.

RioMar Recife -  das 12h às 21h.

Shopping Boa Vista - das 11h às 19h. 

Shopping Tacaruna - das 12h às 21h.

Plaza Shopping - das 12h às 21h.

Shopping ETC - das 12h às 18h.

São Miguel Center (Afogados) - das 9h às 17h.

Olinda

Shopping Patteo Olinda - das 12h às 21h.

Paulista

Paulista North Way Shopping - das 9h às 22h.

Camaragibe

Camará Shopping - das 12h às 21h. 

Jaboatão dos Guararapes

Shopping Guararapes - das 9 às 22h

Cabo de Santo Agostinho

Shopping Costa Dourada - das 9h às 22h. 

Igarassu

Shopping Igarassu - 12h às 20h

Moreno

Recife Outlet -  das 9h às 21h.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL