Diario de Pernambuco
Busca

Saúde

Recife enfrenta dificuldade para vistoriar 20% dos imóveis em busca de focos de mosquito da dengue; saiba como denunciar

Prefeitura recebe informações sobre focos de Aedes Aegypti por telefone, internet e presencialmente

Publicado em: 21/02/2024 17:18 | Atualizado em: 21/02/2024 18:47

Água parada vira foco de dengue até em resto de calçado (Foto: Rafael Vieira/DP)
Água parada vira foco de dengue até em resto de calçado (Foto: Rafael Vieira/DP)
Nos primeiros 50 dias de 2024, a Prefeitura do Recife informou que vistoriou mais de 100 mil imóveis em busca de focos de mosquito Aedes ageypti, transmissor de arboviroses.
 
Segundo  o poder público muncipal, 20 mil desses imóveis não puderam ser vistoriados.  Ou seja, 20% das inspeções foram dificultadas. 
 
É porque os imóveis estavam desocupados ou os moradores negaram a entrada dos agentes.
 
Diante disso, há locais na cidade que ainda facilitam a proliferação do inseto, que provoca dengue, zika e chikungunya. 
 
Com a crise nacional provocada pelas arboviroses e enquanto a vacina não chega a Pernambuco, a população pode ajudar o poder público a localizar focos do mosquito.
 
Para alertar a prefeitura para  essas áreas com infestação, a PCR disponibiliza vários canais, como internet e telefone.
 
Uma das maneiras de denunciar os focos é o telefone  da Ouvidoria da Saúde: 0800.281.1520.
 
Outra forma é entrar na plataforma Conecta Recife.
 
As delações também podem ser feitas presencialmente na sede da Prefeitura do Recife de segunda a sexta-feira das 08h às 17h ou através do e-mail: ouvidoria@recife.pe.gov.br. 
 
Doenças em números

De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Recife, foram notificados, até 03 de fevereiro de 2024 (semana epidemiológica 5), 198 casos suspeitos de arboviroses, sendo 138 casos de dengue, 57 de chikungunya e 3 de zika. Em comparação ao mesmo período de 2023, houve redução de 48,7% dos casos notificados. Em 2023, no mesmo período, houve 248 casos de dengue; 122 notificações de Chikungunya e 22 de Zika. Não houve óbito causado pelas arboviroses na capital.
 
Apesar das estatísticas apontarem para uma diminuição das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o cenário é de atenção, especialmente para a dengue. 
 
Isso porque é aguardado um período de chuvas para março, com intervalos de sol, e houve a reintrodução do sorotipo DEN-3 no território nacional. 
 
Regiões do Sul e Sudeste do País já estão em emergência devido à demanda, com grande procura por atendimento na rede hospitalar.
A Vigilância Ambiental do Recife tem trabalhado muito desde o ano passado para prevenir o agravamento do cenário. 
 
Mais de 80% dos focos estão  em residências, precisamos da sua colaboração.

Orientações Gerais

Evitar o acúmulo de água parada nas residências é uma das formas mais eficazes de combater a reprodução do mosquito e, consequentemente, a disseminação dessas doenças.

Outras medidas importantes são vedar os reservatórios de água e se proteger das picadas, seja com uso de repelentes e mosquiteiros. 

Em caso de sintomas como febre alta, dor de cabeça, no corpo, atrás dos olhos e articulações, manchas avermelhadas na pele e ocorrência de vômito, procurar um serviço de saúde mais próximo, para o devido diagnóstico e assistência médica adequada.

Veja o passo a passo do Conecta Recife

Realizar login no Conecta Recife;
Clicar no botão "Acessar Serviço";
Localize a sua rua em "Local do Serviço":
Informe seu nome;
Informe seu telefone e confirme
Coloque o número da sua residência ou local do possível foco de dengue;
Complemento;
Informe um ponto de referência;
Descreva os detalhes, se achar necessário;
Opcionalmente, anexe até três fotos do foco;
Clique no botão "Confirmar Solicitação de Serviço"
Tags: dengue | recife | vistoria | focos |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL