Diario de Pernambuco
Busca

Imunização

Protocolo de vacinação contra covid-19 no Recife passa por alterações; confira

As alterações seguem as diretrizes do Ministério da Saúde

Publicado em: 01/02/2024 21:32 | Atualizado em: 01/02/2024 21:36

O Recife conta com 170 salas de vacina abertas de segunda a sexta e cinco centros de vacinação de domingo a domingo, (Foto: Divulgação/PCR)
O Recife conta com 170 salas de vacina abertas de segunda a sexta e cinco centros de vacinação de domingo a domingo, (Foto: Divulgação/PCR)

Apenas os grupos prioritários irão receber as doses de reforço da covid-19 no Recife e o esquema básico torna-se obrigatório apenas para as crianças entre seis meses de idade e cinco anos incompletos. A medida faz parte do novo protocolo de vacinação contra covid-19 da capital, que segue as diretrizes do Ministério da Saúde. 

O Recife conta com 170 salas de vacina abertas de segunda a sexta e cinco centros de vacinação de domingo a domingo, todos sem necessidade de agendamento. A lista completa pode ser conferida clicando aqui.

A gerente municipal do Programa de Imunização, Nádia Carneiro, esclarece que o esquema básico para crianças de 6 meses a menores de 5 anos passa a ser de três doses, sendo uma aos 6, outra aos 7 e a última aos 9 meses de idade, com intervalo recomendado de quatro semanas entre a primeira e a segunda e oito semanas entre a segunda e a terceira doses.
 
“A partir de 5 anos, os grupos prioritários receberão reforço com a vacina disponível, independentemente do esquema prévio, uma vez por ano. As exceções serão gestantes e puérperas, idosos a partir dos 60 anos e pessoas imunossuprimidas, que deverão se vacinar a cada seis meses”, completa.

“Considerando que a vacina para os menores de cinco anos foi introduzida no calendário de vacinação de rotina da criança e que a maioria da população em algum momento da vida já foi contemplada com mais de três doses, o atual cenário permite este novo protocolo. Porém, quem desejar poderá iniciar e/ou completar o esquema primário, que será de duas doses, com intervalo mínimo de quatro semanas entre cada uma, sem necessidade de reforço. Vale salientar que a vacina continua sendo um importante aliado não só para a proteção individual, mas coletiva”, reforça a gerente.

Confira como fica o esquema para cada grupo:

- De seis meses a 5 anos incompletos: obrigatório três doses, sendo aos 6, 7 e 9 meses de idade, com intervalo recomendado de quatro semanas entre a primeira e a segunda e oito semanas entre a segunda e a terceira doses.

- Pessoas vivendo em instituições de longa permanência e trabalhadores desses locais; indígenas, ribeirinhos e quilombolas; trabalhadores da saúde; pessoas com deficiência permanente; com comorbidades; privadas de liberdade (maiores de 18 anos) e funcionários do sistema de privação de liberdade; adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas; pessoas em situação de rua: uma dose de reforço por ano.

- Pessoas de 60 anos ou mais; imunocomprometidas, gestantes e puérperas: uma dose a cada seis meses.

- Para as demais populações, maiores de 5 anos de idade e que não façam parte de grupos prioritários, será ofertado o esquema básico: duas doses, sem necessidade de reforço.

Vacinação no Recife

Os recifenses podem garantir a vacina contra covid-19 em 170 salas de vacinação que funcionam de segunda a sexta, das 8h às 17h e em cinco centros de vacinação, abertos de domingo a domingo.

Estes centros estão localizados nos shoppings Tacaruna, em Santo Amaro; Riomar, no Pina;  Recife, em Boa Viagem, e Boa Vista, no Centro, onde funcionam das 9h às 19h, de segunda a sábado, e aos domingos, abertura de acordo com o horário dos shoppings, mas fecham às 19h. 

Além destes, há o Centro de Saúde Ermírio de Moraes, em Casa Forte, que abre diariamente, das 8h às 18h. A Secretaria de Saúde também promove, aos finais de semana, mutirões em locais como escolas, praças, igrejas, mercados e associações de moradores, para facilitar o acesso à imunização.

Tags: covid | vacina | recife |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL