Diario de Pernambuco
Busca

Dengue

Pernambuco registra 230 casos de dengue em 2024 e Saúde reúne municípios para discutir medidas

As cidades de Araçoiaba e Chã de Alegria têm alta incidência da doença, com mais de 300 casos por 100 mil habitantes

Publicado em: 28/02/2024 19:55 | Atualizado em: 28/02/2024 20:05

A contribuição da população para combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor dessas doenças, é essencial para o controle dos casos (Foto: Shammiknr/Pixabay)
A contribuição da população para combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor dessas doenças, é essencial para o controle dos casos (Foto: Shammiknr/Pixabay)
Pernambuco registrou 230 casos de dengue desde o início do ano e seis óbitos relacionados a arboviroses estão em investigação. Além disso, pela primeira vez no ano, municípios entraram para a lista de estágio de alta incidência. Diante deste cenário, a Secretaria Saúde de Pernambuco (SES-PE) irá se reunir com representantes municipais para discutir o "Dia D de Mobilização contra a Dengue" nesta quinta-feira (29).

Dados divulgados nesta quarta-feira (28) pela Secretaria-Executiva de Vigilância em Saúde e Atenção Primária (SEVSAP) mostram que os municípios de Araçoiaba e Chã de Alegria possuem alta incidência de dengue, ambos com mais de 300 casos por 100 mil habitantes. De acordo com a Secretaria de Saúde, o município de Araçoiaba já recebeu a visita de equipes da I Geres, enquanto Chã de Alegria deverá ser visitada nos próximos dias.

Além disso, o número de municípios com média incidência de casos subiu de sete para 16 em apenas uma semana. A Secretaria de Saúde ainda destaca que o número de casos prováveis de dengue entre os dias 18 e 24 de fevereiro é 201,9% superior ao do mesmo período de 2023. Ao todo, foram 1.192 casos prováveis em uma semana.

A SEVSAP também observou que o número de municípios que não estavam notificando desde o início do ano caiu pela metade nas últimas semanas. Os novos dados apresentaram aceleração no ritmo de incidência da dengue, em Pernambuco, em relação à semana anterior. 

Outras arboviroses

Desde o início do ano, Pernambuco registrou 35 casos de Chikungunya e 606 casos prováveis, o que representa um aumento de 43,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

O zika vírus não apresenta circulação há alguns anos no estado. Este ano, são 47 casos prováveis, sem nenhuma confirmação, apesar do aumento de 422,2% em relação ao ano de 2023.

Prevenção

Para enfrentar as arboviroses e reverter o atual cenário no estado, foi criado o Comitê de Enfrentamento das Arboviroses. O grupo é composto por representantes das secretarias executivas da SES-PE, da Sociedade de Terapia Intensiva (SOTIPE), da Sociedade de Pediatria de Pernambuco (SOPEPE), da Sociedade Pernambucana de Infectologia (SPI) e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS).

A contribuição da população para combater o mosquito Aedes Aegypti, transmissor dessas doenças, é essencial para o controle dos casos.

Entre as ações a serem adotadas e que precisam ser constantemente revisitadas estão: receber os agentes de combate a endemias, não juntar entulhos que possam promover o acúmulo de água; realizar a limpeza de vasos, calhas e outros focos de água parada.

Caso surjam sintomas como febre, manchas na pele, dor nos olhos, conjuntivite, dor no corpo e nas articulações, dores de cabeça ou outra manifestação, é necessário a busca por atendimento médico. O diagnóstico precoce é fundamental para evitar o agravamento da doença ou um possível óbito.

Tags: dengue | pernambuco | saúde |

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL