Diario de Pernambuco
Busca

Tragédia no parque

Morte de vítima de acidente no Mirabilandia: "É uma tristeza, mas um alívio, porque ela descansou", diz primo

Dávine Muniz Cordeiro, de 34 anos, morreu na madrugada desta quinta (1º), no hospital. Caso foi registrado em setembro do ano passado

Publicado em: 01/02/2024 11:21 | Atualizado em: 01/02/2024 16:06

Dávine Muniz Cordeiro tinha 34 anos  (Foto: Arquivo)
Dávine Muniz Cordeiro tinha 34 anos (Foto: Arquivo)
"Recebemos a notícia do falecimento com muita tristeza. É um grande baque. Mas um alívio, porque ela descansou”.
 
A declaração foi feita por Ricardo Lima, primo da profesora Dávine Muniz Cordeiro, de 34 anos, que morreu nesta quinta (1º), no Hospital da Hapvida, na Ilha do Leite, na área Central do Recife. 
 
Em setembro do ano passado, Dávine foi arremessada de um brinquedo no parque Mirabilandia, em Olinda, na Região Metropolitana.
 
Desde então, passou por três hospitais diferentes e por dez cirurgias. Ela sofeu ferimentos graves na cabeça. 
 
Nesse período, a família travou uma batalha jurídica com o parque e fez uma vaquinha virtual para arrecadar recursos e assim realizar o trartamento dela em casa.  
 
Ricardo Lima está à frente de todo processo para liberação do corpo para poder encaminhar para o cemitério Parque das Flores, Zona Oeste do Recife.
 
A expectativa é que o enterro aconteça ainda nesta quinta, caso o corpo seja liberado pelo Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área Central da capital. 

Últimos momentos

Ricardo Lima contou como recebeu a notícia da morte de Dávine  (Foto: Marcelle Reis/DP)
Ricardo Lima contou como recebeu a notícia da morte de Dávine (Foto: Marcelle Reis/DP)
O óbito de Davine Muniz aconteceu por volta das 6h40.
 
O primo de Davine contou que soube da morte dela após receber ligação dos médicos do hospital.

"Os médicos me ligaram pedindo para que eu viesse para fazer a liberação do corpo e os trâmites para o sepultamento. Porém, como ela foi uma vítima de um acidente, então a certidão de óbito tem que vir pelo IML".
 
Ele acrescentou que a viatura do IML já foi solicitada pelo hospital para poder recolher o corpo, após a necrópsia, o laudo será emitido aí eles vão emitir o laudo e a família poderá providenciar o sepultamento. 
 
Dependendo da hora da liberação, o funeral de Davine poderá ser feito ainda nesta quinta-feira (1°), caso não consiga a tempo, o sepultamento acontecerá na manhã desta sexta-feira (2).
 
Ricardo falou com pesar sobre a reação a morte da familiar, mas ressalta que agora Davine está descansando.
 
"É uma mistura de sentimentos, porque você tem por um lado a tristeza, por outro lado um alívio, principalmente dos pais que estavam vivendo esse luto já há um bom tempo, porque sabia que o quadro dela era irreversível".
 
Ele pontuou que não havia possibilidade de fazer alguma coisa para que o quadro fosse revertido.
 
"Então isso assim, a ficha não caiu ainda, eles souberam agora pouco, estão realmente sem chão, mas a gente só vai sentir com o decorrer do dia, mas eles estão realmente transtornados".
 
Ainda segundo ele, sobre o estado de saúde, Ricardo frisou que já fazia mais ou menos uma semana e meia que o corpo dela já não estava mais aceitando a alimentação. 
 
A alimentação que entrava no corpo dela não era absorvida e isso causa geralmente duas coisas o vômito ou a diarreia, no caso dela estava causando diarreia e aí a perda de líquido era bem maior.
 
"Chegou uma hora em que foi ter que ser suspensa essa alimentação porque realmente o organismo não estava reagindo e daí que ela foi descendo e chegou no desfecho que nós já estávamos", disse Lima

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL