Diario de Pernambuco
Busca

Violência na ilha

Assassinatos na guerra de Itamaracá têm ligação; adolescente de 17 anos disse que matou criança para vingar crime de bebê

Polícia Militar detalhou, nesta terça (27), a apreensão do menor que confessou ter atirado em Jackson Dantas, de 10 anos, para retaliar crime de Gael do Carmo, de dez meses

Publicado em: 27/02/2024 13:10 | Atualizado em: 27/02/2024 15:24

Major detalhou confissão de adolescente preso em Itamaracá  (Foto: Rafael Vieira/DP)
Major detalhou confissão de adolescente preso em Itamaracá (Foto: Rafael Vieira/DP)
Os assassinatos de um bebê de 10 meses e de uma criança de 10 anos, em Itamaracá, no Grande Recife, estão relacionados. 

O adolescente de 17 anos apreendido pela Polícia Militar por meio do Batalhão de Polícia da Rádio Patrulha (BPRp), na segunda (26), na ilha, confessou que atirou na família do garoto Jackson Dantas e nos irmãos dele, também menores, para vingar a morte do bebê Gael Lourenço do Carmo. 

Os detalhes foram apresentados, nesta terça (27), durante entrevista coletiva concedida no Quartel do Derby, sede da PM, na área central do Recife. 

A corporação explicou que o adolescente foi preso na companhia de um adulto, de 27 anos. 

Os dois moram na comunidade da Biquinha, no bairro do Pilar, mesma área em que aconteceram os assassinatos das crianças.

Eles fazem parte da facção que está em disputa com a outra pelo território do tráfico em Itamaracá. 

Segundo a PM, o jovem, que não teve o nome divulgado, disse que atirou na casa da família de Jackson Dantas, na quinta (22), para se vingar de um parente das crianças que estava envolvido na morte de Gael, no dia 17 de fevereiro.
Jackson Dantas tinha 10 anos. Ele foi morto a tiros em um ataque criminoso, no dia 22 deste mês, em Itamaracá  (Foto: Reprodução/Redes sociais )
Jackson Dantas tinha 10 anos. Ele foi morto a tiros em um ataque criminoso, no dia 22 deste mês, em Itamaracá (Foto: Reprodução/Redes sociais )
Jackson foi atingido com cinco disparos, nas regiões do peito, tórax, nádegas e pernas. Ele ainda foi socorrido para o Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, no Grande Recife, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu na unidade hospitalar. 
 
Há informações de que o adolescente também informou aos policiais os nomes dos demais integrantes do grupo que participaram da morte do garoto. 
 
Ao todo, o adolescente e mais três homens tiveram envolvimento no ataque que vitimou Jackson. 
 
Prisões
 
Com a ação da PM, subiu para sete o número de adultos presos, nos últimos  dias, por causa da guerra do tráfico em Itamaracá.
 
Com a apreensão do menor, são oito envolvidos nos crimes retirados das ruas pelas forças policiais.
 
Nesta terça, a Polícia  Civil por meio do Grupo de Operações Especiais (GOE), informou que foi apreendida uma arma de uso exclusivo das Forças Armadas. É um fuzil belga avaliado em R$ 100 mil. 
 
"Pedimos para que a população nos preste mais informações para chegar até fofos os suspeitos. Foram cometidos crimes bárbaros e as polícias não vai sossegar até botar nas grades todos esses criminosos e devolver a paz na Ilha de Itamaracá", afirmou  o major Davidson Michel, comandante do Batalhão de Polícia da Rádio Patrulha (BPRp) 

Capturas
 
A apreensão do menor e a prisão do suspeito, de identidade não revelada, foram efetuadas por policiais militares do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), na segunda (26). 
 
A ação aconteceu na Comunidade da Biquinha, no bairro do Pilar. 
 
"O efetivo levantou que a dupla teria ligação com o atentado que matou uma criança e feriu outras duas, na mesma região, na noite da última quinta-feira", disse a PM, na nota.

Ao chegar no local, o adulto foi alcançado e levou com ele um revólver calibre 38 com cinco munições, sendo uma deflagrada. 
 
Ainda segundo a PM, o adolescente  fugiu por um matagal. As equipes fizeram uma "varredura" na área e conseguiram efetuar a apreensão. 
 
Ele estava com uma munição calibre 38 no bolso. Também foi apreendida com a dupla uma máscara. 
 
"Diante dos fatos, a dupla foi encaminhada para o DHPP de Paulista, onde o adolescente confessou o homicídio consumado e as duas tentativas", acrescentou a nota. 

Ainda segundo a PM, diariamente, são deslocados até a Ilha de Itamaracá o reforço de PMs, entre eles, contingente do Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati), do BPRp e do Batalhão de Operações de Policiais Especiais (Bope) para a realização de novas diligências para tentar capturar mais suspeitos envolvidos com o aumento da criminalidade na região. 

Crime 

O crime que chocou os moradores de Itamaracá aconteceu quando um grupo abriu a porta de uma casa e atirou nas três crianças que estavam dormindo.
 
Além de Jackson, outros dois irmãos dele, um de 7 anos e outro de 12 anos, foram atingidos por disparos.

A mãe deles, Suellen Dantas, e uma outra criança, de 4 anos, saíram ilesas do ataque.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL