Diario de Pernambuco
Busca

Preso por homofobia

Vereador preso por ataques homofóbicos é libertado após audiência de custódia

De acordo com o TJPE, o parlamentar vai responder em liberdade provisória e cumprir medidas cautelares

Publicado em: 18/01/2024 12:17

A audiência foi realizada pela manhã, na Central de Audiência de Custódia do Fórum de Olinda.
 (Foto: Reprodução/redes sociais)
A audiência foi realizada pela manhã, na Central de Audiência de Custódia do Fórum de Olinda. (Foto: Reprodução/redes sociais)

O vereador de Itamaracá Edielson Bezerra Lins (MDB), preso após cometer ataques homofóbicos, recebeu liberdade provisória após audiência de custódia, nesta quinta (18). 

A audiência foi realizada pela manhã, na Central de Audiência de Custódia do Fórum de Olinda.

A informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).

Por meio de nota, o tribunal informou que o juiz de plantão decidiu que o parlamentar responderá em liberdade, porém, foram protocoladas medidas cautelares que devem ser cumpridas.

Confira as medidas

Comparecer a todos os atos processuais;
Comunicar a justiça se houver mudança de endereço residencial
Não se ausentar da comarca por mais de 8 dias sem prévia autorização judicial
Comparecer mensalmente à Justiça para informar as atividades.

Saiba o que aconteceu

O parlamentar foi preso em flagrante por injúria qualificada e difamação, em uma discussão pelo Whatsapp, em que usou termos racistas e homofóbicos.
 
Segundo a Polícia Civil, ele foi autuado por "proferir palavras ofensivas em uma rede social" contra a vítima, um homem de 50 anos. 
 
De acordo com informações, ele enviou áudios com ofensas racistas e homofóbicas contra uma pessoa com quem teve uma briga pelo WhatsApp. 

Por meio de nota, a Polícia Civil de Pernambuco informou que a prisão aconteceu na quarta (17). 
 
O vereador foi levado para a Delegacia de Itamaracá  para realização dos procedimentos cabíveis.
 
Ele ficou, em seguida, à disposição para audiência de custódia.
 
O caso foi registrado no sistema de acompanhamento processual do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).
 
Ainda segundo informações, os xingamentos começaram depois que a vítima dos áudios afirmou que o vereador, denunciado pelo Ministério Público por homicídio qualificado após bater o carro em um motociclista em outubro de 2022, já tinha sido preso anteriormente.
 
"Você é uma mulher se passando por homem. Isso aí todo mundo, em Itamaracá, sabe: que você é uma mulher. […] Você é maloqueiro e, além do mais, você é ‘viado’. Você é ‘viado”', disse Lins, em dos áudios. Esses termos foram divulgados em redes sociais.
 
A defesa do parlamentar acredita que não teria sido configurado um crime para a realização do flagrante.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL