Diario de Pernambuco
Busca

MEIO AMBIENTE

Prefeitura do Recife combate crime ambiental e planta 1,5 mil mudas no mangue

Viveiros clandestinos de camarão localizados Parque dos Manguezais, na Zona Sul da cidade, foram desativados na manhã desta quinta-feira (11)

Publicado em: 11/01/2024 15:38

Foram desativados três viveiros clandestinos de camarão nas proximidades do Parque dos Manguezais, na Zona Sul (Foto: Divulgação/PCR)
Foram desativados três viveiros clandestinos de camarão nas proximidades do Parque dos Manguezais, na Zona Sul (Foto: Divulgação/PCR)
A Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SMAS) e a Secretaria Executiva de Controle Urbano (Secon), desativou, nesta quinta-feira (11), três viveiros clandestinos de camarão nas proximidades do Parque dos Manguezais, na Zona Sul.

A ação contou com a participação da Marinha do Brasil, Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Brigada Ambiental e Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb).

Para recuperar as áreas atingidas pela prática ilegal foram plantadas 1,5 mil mudas no mangue, numa parceria entre o poder público e a sociedade civil, representadas pela Associação de Pescadores e Aquicultores das Comunidades Tradicionais do Recife (APA) e o Recapibaribe para a conservação e preservação dessas áreas. 

No início da manhã foram retirados os taludes e comportas usados para represar a água e formar os lagos dos criatórios, o que vai permitir o restabelecimento do fluxo da maré e, com isso, a recuperação do bioma. 

A prática da criação irregular do crustáceo fere a legislação ambiental federal e, por obstruir o curso natural das águas, também influencia na drenagem da cidade. 

Das quatro espécies que são encontradas no manguezal pernambucano, foram utilizadas no plantio as três: o mangue branco (Laguncularia racemosa), mangue vermelho (Rhizophora mangle) e o  mangue preto (avicennia schaueriana). 

A equipe técnica da SMAS utilizou o método do Plantio Direto que promove o restabelecimento do ecossistema de forma acelerada e induzida, facilitando a recuperação de suas características naturais.

Além disso, a equipe ficará responsável pelo  monitoramento do plantio para acompanhar a sua evolução.

"Os manguezais são usados como berçários pela maioria das espécies da vida marinha. Se não tem mangue, não tem pesca, e muitas pessoas sobrevivem disso, por isso precisamos manter os manguezais vivos. E, em parceria com outros órgãos e a comunidade, iremos potencializar o nosso trabalho para valorizar o mangue e sensibilizar as pessoas quanto à importância desse ecossistema", disse o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade,  Oscar Barreto.

“Ordenar o ambiente urbano também é uma questão ambiental. Com ações como essa, além de estarmos contribuindo para a recuperação do mangue, estamos fazendo com que o fluxo normal da maré minimize alagamentos, especialmente no período chuvoso”, explica a Secretária Executiva de Controle Urbano, Marta Lima.

COMENTÁRIOS

Os comentários a seguir não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.
MAIS NOTÍCIAS DO CANAL